quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Aquele do "vai ter sorte assim no 5º dos infernos..."

Ele vive hoje numa cidade que mais parece um interior asfaltado do que uma capital de estado. Tem um povinho medíocre (sim, há exceções), um sistema de transporte que um dia foi bom mas hoje é um lixo, temos um prefeito imbecil e fortemente ineficiente, temos vereadores que se preocupam mais com animais de rua do que com crianças em escolas e no final, tudo acaba funcionando de alguma forma. Ah, não perderei tempo em dizer que toda a nossa imprensa está nas mãos de 3 ou 4 e que, esses 3 ou 4 ou são políticos ou já foram ou serão mas que de alguma forma, estão todos juntos.

Mas ainda assim, viver nesse interior asfaltado não é sorte pra ninguém, eu diria até um azar. FODERAM todos os rios, o trânsito é uma merda e haja vistas as 18 horas, não temos trens, não temos metro, não temos viadutos de escoamento de trânsito muito menos, sistemas inteligentes de gestão de fluxo de tráfego. Eu escrevi tráfego...

Porém, nesse ninho de 2.2 milhões de habitantes (só na capitar(sic)), a região metropolitana é outra questão que nem vou abordar, nesse lugarzinho medíocre, e com tanta gente, imagina que hoje eu consegui encontrar justamente a única pessoa que eu não queria? Ai sim, vai ter sorte assim no 5º dos infernos, né mesmo?!

Engraçado, né... Na verdade, não tem muita graça não mas ainda assim, vamos dar aquela risada meio amarela que não ser para mais nada.

Curitiba não é tão ruim assim mas seus habitantes estão tornando ela tão porcaria que logo, não será sequer agradável para viver. Já não é em alguns locais, mas a tendência é piorar, claro. Nada está tão ruim que não possa piorar, ainda mais, em Curitiba...

Mas o texto maldito de hoje nada a ver tem com a cidade ou com a qualidade de seus cidadãos, mas sim com a sorte de um deles. Ou seja, esse cidadão nada mais é do que um pontinho no mapa, aliás, o pontinho pode retratar mais do que uma pessoa. E esse personagem estava muito bem obrigado, tudo ia de vento em popa como diriam os barqueiros, e a vida seguia até que naquele maldito dia, mesmo que as coisas estivessem bem, havia sentido no dia anterior uma angústia meio estranha.

Não obstante, ele que já sabia que algo se anunciava, já se armou para o que estava por vir. Porém, não era bem assim, não era qualquer arma que o protegeria, não era qualquer tiro que anularia seu oponente, não era mesmo qualquer tipo de reação que o faria continuar com a paz que tanto ele busca no dia a dia. E olha que já se vão 3 anos, tempo esse no qual, ele parece mais correr atrás de uma cenoura amarrada na frente de uma esteira, então ele corre, corre, corre, corre atrás, mas na verdade está basicamente no mesmo lugar, preso de uma forma incoerente com sua inteligência, mas que o mantém, num esforço contínuo, lutando contra uma situação retardada.

Neste dia em questão, tudo ia bem conforme já comentei, mas um encontro, casual, que não durou mais que 5, 6 segundo, apenas visual, sem qualquer tipo de aviso, mudou sua rotina neste dia e nos dias que se sucederam e de forma ainda mais incoerente que da forma como ele gostaria. Isso tudo porque a arma que seu oponente usava não é uma arma tangível, não é uma arma de fogo, muito menos uma arma da qual podemos ter escudos. É como uma bomba, programada para explodir - só que explodir no campo inimigo. E nesse caso, o campo inimigo era o coração do personagem.

E ela explodiu, ela fodeu, ela dilacerou todo o esforço. Isso já tinha acontecido antes mas não da forma como aconteceu dessa vez. Infelizmente para alguns, os remédios parecem não fazer qualquer tipo de efeito, não é mesmo... Não há mesmo como criar um escudo contra o sentimento, não é mesmo. E se para alguns é fácil, para outros tantos, é difícil, uma pena que algumas pessoas leram muita literatura de romance, ou seja, é uma pena que ainda existam pessoas que não querem apenas um bom desempenho sexual, mas sim, aquele grande amor...

Um dia, um retardado fez um vídeo em que dizia que se ele pudesse dar apenas uma dica ele diria, use filtro solar. Esse cidadão do texto, em entrevista rápida me disse:

"Se eu tiver que dar uma dica apenas: nunca use filtro solar, pois ele atrapalha sua pele, mas antes de usar ou não filtro solar, nunca ame alguém mais do que a si mesmo. Se amar mais que os outros, não é egoísmo, é inteligência!"

#fui




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!