domingo, 29 de dezembro de 2019

Aquele do "putz, meu pai soltou mais um frase..."

Uma das coisas que aprendi na vida é justamente que na maior parte devemos ouvir, escutar, assimilar para então, se caso for, abrirmos a boca para falar qualquer coisa. E hoje foi um dia em que isso se concretizou, de forma muito ampla. Ou seja, era um dia de domingo, um céu azul maravilhoso, com um clima muito agradável, eu não tenho um puta tostão na conta, os dois cartões, descobri da melhor foram terem sido bloqueados, o cartão alimentação só sai amanhã, ou seja, estou naqueles dias em que como disse meu pai, no melhor momento de sapiência dele - quando é para dar tudo errado, é tudo junto.

Lembro ainda de outra frase que ouvi muito dele que dizia: quando os urubus estão na merda, o debaixo cada no de cima. Sim, os mais alucinados pela física vão dizer que jamais, pois a gravidade vai atuar e a merda vai inevitavelmente acabar caindo no debaixo mesmo ou vai atingir, inapropriadamente um de nós, seres humanos sociais que vivemos em grandes concentrações urbanas, as quais, são sempre alvos dos jatos fecais dos pássaros.

Mas, piadinhas escatológicas a parte, estive pensando. Quando não estamos nos sentindo bem ou quando alguma coisa está nos incomodando, porque será que tudo parece dar errado? Talvez, porque nos permitamos isso, não é mesmo? Não que estejamos realmente colhendo frutos ruim, mas com toda certeza, estamos plantando ações ruins. Ou seja, não é que tudo esteja efetivamente dando errado mas sim, estamos permitindo que tudo esteja errado em nosso dia.

A exemplo do velho pai: havia um compromisso, então, ele que é perfeito com horários, perdeu a hora, levantou atrasado, não conseguiu tomar banho, e finalmente quando entrou no carro para sair, descobriu que havia esquecido o celular no quarto. E volta pra buscar.

Talvez, e apenas talvez, se ao acordar atrasado ele agisse diferente, será que teria sido diferente?

Enfim, um textinho para pensar, afinal de contas, é fim de ano mesmo, dizem que é a época para se pensar e colocar a casa em ordem...

enfim...

é isso...

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Aquele do "vivendo uma fase de muito texto..."

Não sei de onde está vindo tanta vontade de escrever. Não sei de onde estou tirando paciência e pauta para escrever os textos. Se um dia lula corrupto e dilma eram pautas, logo eles deram lugar ao senhor vampiro, que também logo deu pauta para que eu tirasse do blog todos os textos antigos por medo do que poderia acontecer. E assim foi.

Hoje, só tento não escrever sobre política, pois, tenho realmente ainda muito medo. Hoje, se você não for lgbt, de esquerda, evangélico ou bolsomínio, você está no caminho errado. E eu não sou nenhuma das alternativas anteriores. Eu sou do tipo que ainda conta piada suja, que não adere ao politicamente correto hipócrita e de esquerda, só se minha mãe... esquece!

Mas hoje, o texto tem uma pegada mais ligada ao fator que me causa mais problemas pessoais: as interações sociais.

Sim, sabe quando você consegue um emprego, logo você vai conhecendo as pessoas e assim sendo, você começa a interagir. Aí, as relações de trabalho acabam se esticando até o happu hour ou o churrasco no findi e essas coisas. Porém, eu LG, não consigo administrar isso. Eu não consigo esse tipo de envolvimento pois, em algum momento, eu vou ficar entre perder uma amizade e cobrar algo relacionado ao campo laboral.

Assim como percebo que, na verdade, até hoje, só fui bem aceito enquanto eu estava de acordo com os padrões sociais dos outros, ou seja, se eu concordo - ok, se eu penso igual - ok, se eu gosto do que eles gostam - ok... Mas, a hora que resolvo expor minha opinião se apenas tento falar sobre algo que eu realmente tenha conhecimento, logo sou afastado do convívio com o grupo.

Sabe aquela ideia do peixe fora d'água?

Sim, sim, esse sou eu. E o que eu faço contra isso? Não convivo! Felizmente, tenho um quarto para dormir que é quentinho, então, tomo minha cerva sozinho, saio sozinho, vou ao cinema sozinho, viajo sozinho, ou seja, evito causar constrangimento para os demais, numa troca bem justa: eles vivem a vida deles e eu, vou levando a minha vida, como a vida quiser me levar. Vai saber até quando ela vai querer, não é mesmo?

E na verdade, percebi que até mesmo em família, eu não consigo agradar e por isso acabo mesmo ficando mais isolado. É foda? Não, acostuma, acostuma até que rápido...

Tenho alguns poucos amigos que por me entenderem me aceitam, quando podemos interagimos, até uma bera de vez em quando tomamos, mas não vamos forçar mais que isso...

Não posso mudar mais meu pensamento e minhas verdade por causa da aceitação de outras pessoas. Não posso mais permitir que me ser seja moldado por outrem, pois, a qualquer deslize meu, essa pessoa vai cair fora da minha vida como aquele cliente de um restaurante que achou um cabelo na batatinha frita.

Engraçado isso, parece que estar sozinho é mais legal do que cercado de gente...Poucos inclusive entendem porque é que eu prefiro ficar isolado do que estar rodeado de pessoas que não me compreendem... Mas é um riso amarelo, bele?

Enfim, nos últimos dias, parece que escrever está sendo mais legal do que foi um dia e olha que eu adora escrever sobre política e economia, mas agora, está mais divertido...

Bora lá!

#segueobaile

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Aquele do "pra você guardei o amor que nunca souber dar..."

Hoje o dia está chuvoso, friozinho, cinza e melancólico. Sério, não dá pra ser diferente em Curitiba, essa cidade melancólica que quer ser uma São Paulo da vida mas que na verdade, não é nada mais do que um interior asfaltado que tem como prefeito um melancólico Rafael.

Mas o texto não tem nada de Curitiba, prefeito ou qualquer outra coisa. Hoje é sobre sentimento. Mas também, não é por sentimento alheio, afinal de contas, pessoas entram em nossas vidas como clientes de um restaurante, uns voltam, outros não, uns marcam, outros não, uns interessam, outros não queremos sequer saber se continuam ou não vivendo. Mas, falar sobre sentimento sem envolver outras pessoa é possível?

Sim!!!

Exatamente isso. Na musica do Nando Reis, ele explora muito essa frase, "Pra você guardei o amor que nunca soube dar...", mas e aí, nobre leitor, quantas vezes você acorda, faz sua rotina mas antes de sair de casa, para por alguns instantes em frente a um espero, se observa e se diz, mesmo que em voz silenciosa: "eu me amo"?

Nos cinemas, nos seriados, nas novelas, nos programas de auditório, vemos e somos bombardeados por pessoas que usam a frase "eu te amo" de forma tão espontânea, tão direta e tão superficial que hoje, afirmo, assusta. Afinal de contas, será mesmo possível amarmos tantas pessoas, dando a elas um pouquinho de atenção ou será que confundimos amor com qualquer outro sentimento?

Bom, eu não tenho resposta para tudo, até queria ter, mas não é bem assim. Porém, a vida, esta marotinha malvada, me ensinou que, antes de queremos amar uma pessoa qualquer, seja ela o grande amor da nossa vida ou nossos pais, por exemplos, precisamos parar de guardar do amor que não sabemos dar e precisamos de alguma forma nos proporcionar esse amor. Sim, precisamos nos amar, nos olhar no espelho, observar cada fio de barba ou cada ruga que aparece, precisamos gostar dos nossos olhos, das nossas espinhas ou então, daquele defeitinho que uma cirurgia plástica poderia e que quiçá melhorará!!!

Precisamos aprender a nos amar pois quando soubermos o que é nos amar, aí sim, saberemos se amamos ou se gostamos de outras pessoas, sejam elas quem forem. Não é mesmo?

Posso até estar sendo superficial ou então, devo estar sendo incoerente, afinal, vivemos num mundo das certezas e tenho certeza que você já tem as suas certezas e dessa forma, vai me criticar, mas antes, pare e pense, você se ama tanto assim para me criticar?

(  ) SIM - ok, desce a porrada mesmo!
(  ) NÃO - então, espera um pouco!
(  ) TALVEZ - o que falta então para você saber se sim ou se não?

Eu talvez já me ame muito mais do que me amei um dia. Sim, por muito tempo me mantive apagado, guardando o amor que tinha por mim em algum lugar da minha cabeça/coração e dando esse amor aos outros. E que frutos colhi? Nem quero falar sobre...

A verdade é que depois de quebrar minha cara por algumas vezes percebi que eu estava fazendo exatamente errado, e que, antes de dar aos outros o que eu mesmo não tenho, tenho que ter o que preciso ter. Nesse caso, uma excelente dose de amor próprio seria algo bem interessante, não é mesmo?

E assim está sendo, é nisso que estou trabalhando, é exatamente isso que quero e é isso que tenho conseguido, mesmo que aos poucos, mas, tudo que é feito com calma e com sustentabilidade, me parece ser mais duradouro...

E pra finalizar, não vou desejar feliz natal a ninguém. Mas, sim, desejarei uma excelente bom 2020 para todos. E esse não deve ser o ultimo texto do ano, porém, se for, já foi!!!

#bora_lá

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Aquele do "eles pensam que podem tudo, mas..."

Um dia, na vida, eu ouvi uma música de um artista que ainda gosto muito, um tal Gabriel O Pensador. E nessa música, em determinado momento, ele cita a seguinte frase:

"Quem devia lucrar só é prejudicado
Assim cês vão criar uma geração de revoltados
Tá tudo errado e eu já tou de saco cheio"

Transcrição retirada do site www.vagalume.com.br - por praticidade

Esse é um trecho do final da música Estudo Errado, de autoria do Gabriel O Pensador. Talvez solto assim não dê para se ter uma ideia maior mas no contexto geral, ele trata de educação, relação escola vs professor vs alunos.

Muito mudou desde que ele gravou essa música. Principalmente na questão dos alunos. Hoje, temos uma geração que tem por condição existencial não saber lidar muito bem como o NÃO. Sabe como é né, na vida, as vezes e muitas vezes, ouviremos um NÃO. E não apenas porque querem nos dizer não, mas pelo motivo de que nem tudo é possível fazer nessa vida. Eu mesmo, estou pensando em trocar o nome do site de www.dlq.com.br para www.elq.com.br - ou seja, ele ficaria Espaço Leite Quente, pois de diário, quase não tem mais nada.

Mas isso talvez não seja possível, afinal de contas eu tenho que comprar outro domínio, migrar o nome e praticamente teria que mudar tudo. Dessa forma, melhor deixar do jeito que está.

Bom, mas tente dizer não para essa geração...

Eu estava lembrando há pouco que, certa vez fui trabalhar numa empresa que era o lugar onde quase todo mundo queria trabalhar. Bom salários, melhores benefícios, possibilidade de engordar o salário com bonificações por produtividade e qualidade de atendimento, enfim, essas coisas. E em dado momento do processo seletivo, tivemos uma reunião na qual foram apresentadas algumas condições para que pudéssemos realmente ter esses ganhos "extras" e no auditório, umas 35 pessoas, uma delas se destacou por, a todo instante, interromper o pessoa para questionar os "NÃOS" que estávamos ouvindo.

Eles não eram "NÃOS" limitantes mas sim, nãos operacionais. Pois, a cada não, era exposto um SIM, mas ela, já pertencente a geração " ___ " não conseguia entender porque as coisas não eram da forma como ela, e absolutamente ela, queria. Ou seja, um grande problema em receber um não como resposta.

Veja, acredito mesmo que estamos criando uma nova geração totalmente despreparada para o mundo lá fora, pois eles não conseguem mais aceitar que não é tudo que podem e que irão fazer. Tudo tem limites, e infelizmente, esses limites podem não ser do nosso gosto, mas ainda assim, eles existirão.

Eu também, queria poder fazer diversas coisas as quais, as vezes o "bolso" não deixa, as vezes a "sociedade" não deixa e em outras tantas vezes, apenas não posso.

E tenho que aceitar e aprender que nem tudo é possível...

#segue_barco

sábado, 14 de dezembro de 2019

Aquele do "eu não estava afim de escrever, mas foi melhor..."

Assim como nossa vida é um ciclo, seja uma senóide ou uma cossenóide, se tu não sabe a diferença, seria legal estudar um pouco pois eu não vou descrever aqui para você, mas hoje, foi justamente o dia que começou uma senóide. Eu diria que começou uma senóide com amplitude de +5 ou até +6. Tudo ia muito bem, eram risos, risadas e uma risorama impressionante, mas, assim como uma senóide, as coisas, com o passar do tempo, começaram a piorar e a linha começou a descer no gráfico.

Eu até sei porque mas não consigo externalizar de forma mais concreta, sabe comé... E assim sendo, prefiro escrever a ter que ficar falando e conversando com outros seres semelhantes a mim. Semelhantes em suas características fenoticas, pois nas genoticas, ah, quanta diferença. Os últimos dias, e não estou falando daquela religião que rouba dinheiro através de dízimo e oferta missionária chamada Mórmon, mas sim os últimos dias que tenho vivido estão me mostrando que eu sou o que podemos chamar de ermitão. Sim, já escrevi sobre isso, mas era sobre o desejo de me tornar ermitão, porém, percebi que já sou...

Sabe porque?

Sim, porque eu não sei mais ter convívio social na maior parte do tempo. Justamente porque eu não sei mais rir das piadas alheias sem graça ou daquelas mesmas brincadeiras idiotas que as pessoas fazem, coisas do tipo é pavê ou pa cumê, sabe, ou então, quando as pessoas insistem nas brincadeiras que não tem a menor graça.

Eu não sei conversar sobre política sem colocar minha opinião - ou seja, sou um idiota. Na real, eu quero que a opinião dos outros exploda, mas sou muito inteligente para poder respeitá-la e defender até minha morte o direito de que qualquer pessoa a tenha.

Eu não sei mais sequer conversar com pessoas sem ser irritante, sem ser incoerente, ou ainda, se me achar superior aos demais. Mesmo sabendo que em alguns casos, eu realmente sou. Mas não sou mais humilde de me calar inclusive nos momentos em que eu deveria falar. Sério, até mesmo este texto está ficando tão sem nexo, que nem sei mais como conduzir ele.

Rompi com a religião - quero que todas as igrejas deixem de existir, não respeito nenhuma dessas ferramentas idiotas de dominação em grupo, rompi com essa historinha de deux, não consigo acreditar nessa fábula, prefiro acreditar na chaleira voadora do jardim, rompi com a família, os poucos que me importam são meus filhos, pais e irmãos (sobrinhos também), rompi com o estado, pois nem votar eu vou mais, eu apenas pago a multa e que se foda...

Hoje, vivo para trabalhar e terminar de ajudar a criar meus dois moleques. Um dia sonhei em adotar uma menina mas, enquanto escrevo esse texto, decido que não farei mais isso. Assim como também, acabo de decidir que não vou mais ficar nessa lenga-lenga de tentar agradar as pessoas. Eu realmente nasci para ser o chato e acho que assim vou continuar sendo, o chato da história, aquele que ninguém gosta de bater bapo... hahaha

A não ser a amiga Su, a amigona Clau e algumas outras personas, assim como meu nobre LH, o LE e mais alguns...

Bom, escrever até que me fez bem, sabe.. mas antes de terminar, já que falei sobre coisas com as quais eu rompi, vamos lá, relatando algumas outras coisas que não consigo sequer me propor a acreditar:

- aquecimento global: mentira
- amazônia pulmão do mundo: mentira
- feijoada é brasileira: meia mentira
- e por aí vai...

Mas, é nós e eu fui!!!

#jáera

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Aquele do "canalha já, desde cedo..."

Quando eu era criança, por força do destino e por uma questão familiar, eu fui obrigado a frequentar e aceitar uma igreja. Então, logo, você pode imaginar que por algum tempo eu fui mórmon. Porém, nunca me encaixei naquela história de salvação, de filho que vem pra terra sofrer as dores dos outros e mais um monte de merda que lá ouvi.

Essa foi uma pequena introdução para um assunto que não tem muita relação com religião, mas sim, com o pensamento, com as decisões que estamos cada vez mais cedo obrigados a formar e a ter, e pior ainda, com a falta de limite a qual estamos proporcionando para nossos filhos. Ainda em minha época, tínhamos de maneira efetiva um respeito maior pelos nossos pais. Eu não sei se eu era cagão de merda ou cabaço demais, mas eu tinha um puta respeito pela minha mãe e muito pelo meu pai. Eles me deram tudo o que eu sou e me ensinaram cada um ao seu jeito, ser um homem honesto (até demais) e digno de minha existência...

Foi nessa pegada que me criei...

Voltando um pouco a questão da igreja maldita, eu nunca gostei da igreja em si. Eu ia lá por causa de alguns pessoas, que achava serem meus amigos, alguns realmente se firmaram como amigos. Outros, por força do destino nunca mais vi. Mas mesmo não sendo a favor, eu não saia falando besteira a respeito por não ter conhecimento apurado sobre... E dessa forma, a máxima da "boca calada não cospe merda", era muito válida.

Hoje, tenho fortes argumentos para contrabater todos os argumentos mórmons. Mas eles são como petistas, ou seja, são pombos enxadristas. Derrubam todas as peças do tabuleiro, cagam em tudo e saem voando com o peito estufado.

Mórmon é como petista, apenas a verdade deles e o que eles querem é o que serve para eles. Eles não conseguem sequer imaginar observar outra ideia ou algo diferente do que eles querem. É tão bizarro quanto sei lá, conversar com terraplanistas.

Porém, hoje, sexta-feira 13 de janeiro, o que mais tem é notícias sobre uma tal Greta. Sim, uma pentelha de alguns poucos anos de idade, natural de uma país dito do 1º Mundo, que fez um discurso cheio de informações equivocadas e compradas pela elite dominante do planeta e no qual, ela esbraveja que o terceiro mundo deve continuar sendo uma "floresta" pois as gerações anteriores destruíram o futuro dela. Pentelha simplesmente humilde, heim...

Mas vamos lá.

Desde que eu estava no colégio, e lá se passam algumas décadas, as mentiras e faláceas vem caindo aos poucos:

- os oceanos não subiram e não acabaram com os litorais que haviam nos dito (água congelada ocupa mais espaço que água líquida - faça o teste hipócrita e verás), logo, mesmo que todas as geleiras descongelem, o impacto será nulo ou pífio;

- o petróleo não acabou e pelo contrário, nunca se teve tanto petróleo disponível;

- o "buraco" na camada de ozônio não está girante, o que se tem é uma diminuição na concentração, que varia com diversos fatores, mas o ser humano consegue interferir pouco ou quase nada nesse processo;

- para aquelas que se permitem ter um QI maior que 5 ou 6, é sabido que todo oxigênio O² produzido pela Amazônia durante os dias, é consumido e transformado em CO² pela mesma amazônia a noite... lembra daquela aula em que diziam para não se ter muitas plantas no quarto onde se dorme, enfim, qualquer QI maior que 3 sabe disso... Ou seja, Amazônia pulmão do planeta só para os países desenvolvidos que querem evitar o nosso desenvolvimento;

- os governos, os cientistas comprados pelas grandes corporações e todos os outros babacas defensores de aquecimento global querem esconder que, o período de aquecimento global, o qual não tem intervenção dos humanos, sempre precede um processo chamado Era da Glaciação no qual, boa parte do globo, principalmente acima da linha do equador, congela, num processo já visto e comprovado por diversos cientistas sérios e não alarmistas;

- é estranho notar que, Greta, os ecochatos e os ecochapados, não percebem que corroboram para uma mentira descarada na qual, os países desenvolvidos, tidos como de primeiro mundo, criam faláceas para nos deixar no 3º mundo, plantando e cuidado de florestas e deixando o desenvolvimento de lado...

Engraçado que nós temos que cuidar da amazônia enquanto eles, tem tecnologia e dinheiro para impor que compremos tudo deles...

Eu quero mesmo é que Greta cale essa boca de pentelha mimada. E que o Brasil cresça, mesmo que para isso, tenhamos que acabar com essa amazônia.

Porque esses ecochatos e ecochapados não vem aqui no Paraná defender que se replante a floresta de Araucárias que foi dizimada? Porque eles não estão aqui?

Porque só a Amazônia? Porque só o Brasil? Porque essa Greta não cala a boca e vai cuidar do país dela?

Enfim, é isso para hoje..

Vamos combinar, não existe uma verdade universal e se tu quer defender algo, vá até onde você sabe senão tu vai fazer papel de idiota. Hipócritas a parte, o aquecimento global é uma invenção tão inteligente quando deus. Ou seja, criou-se uma forma de dominação na qual, essa garotinha e um monte de líderes, conseguem manter sob dominância e vigília constante, toda uma legião de pobres infelizes que sempre vão, cuidar da floresta e das árvores, sem ao menos saber que, existem sim duas ou muitas mais verdades sobre esse assunto.

Ou você acha que o gás refrigerante de geladeiras e arcondicionado muda de vez em quando sem motivo algum?

E para fechar, você sabia que, o ozônio é regulado, dentre tantos fatores, pelas tempestades elétricas na atmosfera mais alta?

Pois é, acho que Greta deveria ter aulas comigo!!!

#fui