quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Aquele dos "rótulos sociais"

Quando você pensa em comprar um achocolatado, que marca você pensa? E aquele refrigerante, qual é a marca que vem a mente? Pois bem, sempre que pensamos em consumo acabamos tendo em mente um rótulo, uma marca, não é mesmo? Dessa forma, não tem como pensamos em comprar um produto, sem que tenhamos marcas ou de referência ou de preferência... Alguns argumentam que a durabilidade é maior ou a qualidade é maior ou então, que o custo x benefício é o melhor... Enfim, sempre associamos algum produto a algum nome.

Sim, sim, sim... Sempre!

Mas, que relação esse trecho do texto tem com o título deste texto?

Nada.
Tudo.
Mais ou menos...

Mas é fato que, tomando eu como exemplo, pode ser? (acompanhe a numeração ao lado)

1 - não acredito em deus
2 - não concordo com bolsonaro, não concordo com lula
3 - não acredito em aquecimento global
4 - tenho convicções sobre alimentação e saúde
5 - gosto, conheço e sei muito sobre carro e mecânica

Tudo bem até aqui? Veja bem, o que acontece no dia a dia agora:

1 - sou ateu
2 - sou um coxinha e sou um mortadela - tirando que posso ainda ser um neo-facista-liberal-capitalista
3 - sou um idiota
4 - sou uma besta
5 - sou um metido/enrolão

Engraçado como é fácil me rotular, não é mesmo? Eu mesmo posso fazer isso, mas adoro perceber o rótulo que as pessoas colocam nas pessoas e observo muito isso. Hoje, num dos poucos dias em que almoço, fiquei o tempo todo pensando nisso, sabe. É interessante nossa imensa capacidade de rotular alguma coisa / alguém, muitas vezes apenas pelo simples prazer, mesmo que inconsciente de fazê-lo.

Um dia, até me importei muito com isso, mas hoje, não me importo mais. De fé, como diria uma atriz pornô em uma entrevista no youtube, "sua opinião para mim é como um cocô de cachorro, que eu cuido para não pisar em cima." Sério, não dá para juntar uma ruga de preocupação com o pensamento alheio, sabe, é complicado demais tentar agradar todos e perceber que, partindo do princípio, não temos sequer a capacidade nos agradar o tempo todo, quiçá agradar mais alguém.

Muitos irão nos rotular. Muitos estão mais preocupados com o que você veste, com o que você come, com o que você bebe, mas até que ponto isso vai interferir em sua vida? Até o ponto em que você permitir, então, quer uma dica?

Não, não use protetor solar não, qualquer coisa, pesquise a respeito!

A dica é, se importe tanto com o que os outros pensam quanto você se importa com o que os outros estão fazendo/sendo. Aí, você perceberá que, o mais importante é usarmos, agradarmos, vivermos o que nós queremos para nós. Você gosta de Toddy e eu de Nescau, e o que isso vai mudar em nossas vidas?

Enfim, um textinho para não deixar em branco, as pautas dessa semana, vou postergar para semana que vem, e será uma série sobre a geração XYZ, mas pode ser que não saia ainda. Estou escrevendo com calma!

Fica na paz!

#peace

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!