sábado, 4 de abril de 2020

Aquele do "Estou surtando, mas estou lúcido!"

Vamos la, senhoras e senhores. Afinal se eu escrever senhores antes posso ser chamado de sexista, não é mesmo? Ironia a parte, e talvez esse texto inevitavelmente contenha alguma, estamos vivendo uma fase bastante difícil, não é mesmo? Difícil para quem? Difícil?

Eu não consigo mais entender a humanidade enquanto um todo: sabemos que há um ciclo, que nascemos, que nos desenvolvemos - sim, estudamos, trabalhamos, compramos, gastamos, namoramos, casamos, fazemos filhos e bla bla bla, e no final disso tudo, morremos. Não há escapatória, a não ser o Pelé e o Neymar, o resto, todos vamos morrer um dia. Não adianta, rezar ou orar, pedir ou implorar - vamos sim morrer, é um ciclo natural. Ok, alguns vão dizer que não precisa ser tão cedo e bla bla bla de novo, mas quem define o tempo? Se for deus, certo, quem pode afirmar que ele num momento de diversão (todos merecem, né), não resolveu mandar uma nova praga?

Mas o texto não é para isso, eu poderia tirar sarro o dia inteiro e o que eu ganharia com isso? Alguns ex-amigos, alguns crentes furiosos comigo e ah, nem quero isso.

O texto é sobre o meu isolamento social. Não que eu tivesse uma vida social ativa, alias, nunca nem quis isso. Eu tenho medo de gente, eu tenho receio de gente e eu tenho nojo de gente. Tirando alguns poucos amigos, o restante me dá muito medo. Então, ficar em casa até tem me feito um bem danado da conta.

Quer ver as vantagens que já percebi?

- meu cartão de débito não é usado há mais de 2 semanas;
- não preciso me preocupar se um filho da puta com menor chance social vai me assaltar ou não;
- não preciso me preocupar em pedir licença, desculpa ou qualquer outra coisa;
- aprendi que, não preciso dizer bom dia para ninguém para ser feliz;
- estou aprendendo que, não preciso de ninguém, mas que um amor não faz mal não...

Enfim, são muitos os aprendizados até agora.


É bem possível afirmar que, muito provavelmente, meu melhor momento de terapia dos últimos tempos foi justamente viver esse isolamento social. Talvez eu sinta falta dele ou talvez, ele tenha me mostrado justamente que, tirando meus filhos, pais e poucos amigos, seja exatamente o que eu preciso e quero para viver...

Uma mulher para chamar de amor, meus filhos por perto e meus pais enquanto tiverem vivos, que sejam sempre bem vindos... O resto, não que eu os ignore, mas não fazem a falta que imaginava que poderiam fazer. O susto e o medo do corona fizeram com que a humanidade percebesse que, ela é fraca e vai morrer, mas ao invés de lutarem de frente contra isso, preferiram brincar de deux e tentar salvar a humanidade. O covid-19 ou Corona, é apenas o primeiro de uma série de virus super letais que a mamãe natureza vai nos presentear, não há como fugir.

E se assim for, que assim seja. E viva o isolamento social.

Mais uma coisa, se você pensou que eu ia politizar o assunto, se enganou, o isolamento social me fez ver mais uma coisa: não importa quem está lá em cima, governando por mim, pois seja os P que forem, seja os Porcos que forem, todos eles, sem tirar nem por, todos eles, nunca fizeram e nunca farão nada para me proteger... Já passamos H1N1 - o porco não fez nada, agora, Covid-19, mudou o chiqueiro, mas o porco, não faz nada. Por isso, quero que todos os políticos morram de Covid-19 ou de hemorroida ou de caganeira...

Para esse sábado é isso...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!