segunda-feira, 20 de abril de 2020

Aquele do "Sim, antes de morrer, vamos também aprender!"

Veja bem, o texto de hoje é uma reflexão desse retardado que escreve aqui de vez em quando. Não costumo ter muita frequência para escrever e o nobre Geraldo está fazendo isso com uma maestria admirável. Mas vou tentar as vezes manter meus textinhos...

O texto que aqui escrevo na verdade é uma reflexão, estou há dias sem sair de casa, a não ser em condições muito, muito específicas... Eu não acredito em metade do que a grande mídia está tratando com pandemia de corona. Muito menos consigo acreditar no que chega pronto, como uma fórmula mágica na qual está escrito que 4% dos infectados vão morrer e bla, bla bla... De fato, isso pode e até aconteça, mas, afirmar isso antes de acontecer é brincar de Mãe Diná. E eu não costumo brincar de adivinhar, nunca gostei.

Fato também que ou o corona não chegou ao brasil ou chegou em sua versão mais branda. Não acompanhamos ainda no Brasil nada com a progressão que vimos nos EUA, Espanha ou Itália - a China eu não vou citar aqui. Sim, quase 1000 mortes até agora, em outros países chegamos a ter muito mais de 1000 por dia. Ou seja, ou algo aconteceu de errado ou então, vai saber o que acontecerá, se é que ainda não aconteceu.

Mas ai, comecei a pensar e quando eu penso a coisa não vai ser muito boa até porque a vida me ensinou que no meio dela, existe a morte e não há o que faça, todos vamos morrer. Alguns, morrerão com mais dor, outros, morrerão de formas trágicas e alguns (muitos) da doença que carinhosamente apelidei de mocoronga vírus. Sim, muitos morrerão de Covid-19, algo assim. Nesse ponto um hipócrita me perguntou: e se for um de dos seus? Bom, paciência, estamos no mundo para morrer, e mesmo que seja um dos meus, por mais que eu chore e me desespere, vou ter que saber trabalhar essa emoção, essa sensação e assim, viver vivendo, como vinha fazendo.

Não é a primeira epidemia a qual a população mundial passa mas essa tem uma coisa nova em relação as anteriores e que talvez vá matar muito mais do que o próprio vírus, aliás, no Brasil temos duas coisas. A primeira coisa e mais perigosa de todos os tempos é o presidente, esse imbecil desqualificado eleito por uma elite tão hipócrita e conservadora quanto ele. O segundo problema é ou são as redes sociais. Pois, assim como nosso presidente, todos os usuários de rede social resolveram da noite pro dia se tornarem formadores de opinião e também especialistas, inclusive em epidemiologia. Ai já viu, né.. É cada burro falando cada burrice...

Sobre o presidente, não há o que faça... Ele vai ficar e vamos nos foder o suficiente. Não que eu ache que os lulu-petistas fossem melhores, não. Vivemos uma fase no Brasil em que é melhor repartir este lixo em 5 países menores, cada qual com sua soberania. Queria muito mesmo ver o desenvolvimento social dos 5 países. Somos grande demais e dependentes demais de um governo federal, que não deixa de usar a pobreza como forma de obter votos.

As redes sociais, sobre essas não gastarei mais sequer um parágrafo... Você deve amá-la, enquanto eu, tenho muito medo delas...

E infelizmente, esse será o primeiro de muitos super vírus que ainda verei em minha vida, é infeliz a previsão, mas é a mais realista que posso ter!!!

Bom, um abraço pra todos...

#fui


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!