quinta-feira, 23 de abril de 2020

Aquele do "Tanto faz, no final já passou, não é mesmo!"

O caos se anunciou e acabou não passando por aqui. Não sei se porque o povo aceitou muito bem a questão de ficar em casa e em partes, isso foi louvável ou se não chegou por aqui a mesma coisa que chegou por lá. O Brasil, mais de um mês depois do isolamento somou por volta de 3 mil mortos. Eu sei, é inestimável o valor dessas perdas, afinal de contas perder um ente querido não é fácil, ainda mais de uma doença que chega sem avisar.

Meus sentimentos às famílias das vítimas, é sério, eu agradeço por não termos perdido ninguém aqui em casa, não posso ser hipócrita de não agradecer, mas ainda assim, lastimo as perdas.

Porém ontem, eu li algo que não soube muito bem como compreender o que estava escrito. Sabemos que o brasil vive uma dicotomia, ou seja, se você é brasileiro, você tem que escolher: ou você é pt ou é contra pt, ou você é bolsobosta ou você é lulacaninha, ou você é contra ou você é a favor.

E, por coincidência, ao falar com uma amiga, estávamos abordando o tema de ser binários ou não sermos binários. Bom, o isolamento social evitou que nós, enquanto nação tivéssemos números tão pequenos se compararmos com outros tantos países, não é mesmo? Mas vamos pensar que foi fácil pensar em isolamento social num país com tamanha desigualdade social, não é mesmo?

Afinal de contas, eu por minha conta vou dividir aqui alguns grupos:

- funcionários públicos - estes, já vivem em isolamento social, pois ganham quase sempre muito mais que seus similares da inciativa privada, além de que tem flexibilidade de horário, liberdade de cafezinhos, licenças prêmio, licença produtividade, licença estou cansado.. além de que, o salário quase nunca atrasa e é reajustado sempre nos melhores índices;

- aposentados e pensionistas - estes também já vivem seus isolamentos, mas eles tem uma questão importante que é, de uma hora para outra, viraram a causa de todas as preocupações, e não estou tirando essa razão mas, os mais jovens também poderiam morrer ou pior, transmitir a doença para os mais velhos;

- políticos - estes eu nem preciso citar né, são os ganham melhor aqui nesse país, oficial e extraoficialmente, sabemos bem disso. E no mais, eles nunca trabalham mesmo, o que mudou? Mudou que talvez tenham economizado uma grana de viagens para brasília;

- iniciativa privada - estes, quase sempre tiveram apoio das empresas mas tudo tem um limite e empresa que não ganha, não pode gastar, e aí, diferente dos funcionários públicos, tem uma galera que já está colocando os currículos em ordem, só não sei para onde vão enviar, pois é uma situação geral;

- pobres - não, está por ultimo pois somos a grande maioria. Os pobres, normalmente ocupam profissões que as categorias acima julgaram e vão julgar sempre como essenciais. Mercados, farmácias entre outros, estes não poderiam parar pois a elite precisa deles. E quem os banca?

Bom, já estamos a uma semana com tudo voltando ao normal e tudo voltará.

Já morreram 3 mil, quem sabe mais uns 3 mil, mas ainda assim, morreram muito menos tupiniquins que na grande maioria dos países acometidos. Só nos EUA já foram mais de 38 mil....

Então, se deus é brasileiro, talvez ele tenha resolvido trabalhar um pouco por essa nação que está acostumada a só levar no tobis.

Quem sabe, agora é a nossa vez?

Ok, Ok, não é... foi mal tentar acreditar!!!

#fui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!