domingo, 19 de julho de 2020

Aquele do "Dia do Senhor.. do senhor esquerdinha..."

Eu cheguei a algumas conclusões os últimos dias de reclusão quase total. Muitas dessas conclusões talvez não sejam as mais agradáveis para a maior parte das pessoas mas, infelizmente, não posso desejar outra coisa senão um sinto muito para elas.

A primeira conclusão que eu cheguei é que, qualquer religião, repito, qualquer religião e aqui, eu tiro de jogada as de origens africanas que para mim não não são religiões como a católica, evangélica ou luteranas essas coisas e também não são seitas como a mórmon e muito menos, água de chuchu como o budismo e o hinduísmo.... Ou seja, todas essas que citei são exatamente o fim da humanidade. Enganam as almas que são fracas, roubam o dinheiro dos velhos que tem medo da morte, usam seus jovens como máquinas de divulgação em massa e de quebra sempre tem um "lider" que acaba de alguma forma fodendo (literal e figurativamente) alguém, e os relatos mostram que normalmente são de menor...

Mas é isso, sobre religião só mais um detalhe: não tá podendo ter aquele culto/reunião/missa, na qual o medo do inferno é cada vez mais ampliado e o dízimo, cada vez mais recolhido.. Então, a 4ª Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba no Capão da Imbuia, no maior estilo Punk Rock, resolver colocar um monte de carros no estacionamento, e meteu umas caixas de som que só por deus.... deus surdo viu. Meti duas reclamações por poluição sonora mas qual a minha surpresa saber que isso não é poluição sonora.. Pois a prefeitura de Curitiba não faz nada, deve estar faltando fiscal, né...

Deixando de lado esses hipócritas, hoje é dia do senhor... Do senhor esquerdinha.

Desde o início, quando surgiu a covid-19 no Brasil, havia uma possibilidade de usarmos de forma profilática, ou seja, para evitar uma disseminação maior, um medicamento. O presidente, atualmente sem partido, saiu falando aos 7 ventos e quando ele, sim ele pegou covid, ele mesmo tomou. Mas, a academia desse país, que é um lixo esquerdista na grande maioria, a nata intelectual dessa nação, tratou nos primeiros instantes de condenar o uso desse medicamento. Se apoiaram em estudos que eles mesmos fizeram, e no achismo que apenas a esquerda gosta de usar para f. outras pessoas.

Infelizmente nada foi feito porque, por mais que o presidente tenha sido eleito democraticamente pela maioria dos votos, na academia, a maioria da elite supostamente pensante é de esquerda e perigosamente tendenciosa a fazer sempre o que a esquerda quer.

Conseguiram que o remédio, barato e talvez eficiente nem sequer fosse cogitado. Já passamos de 78 mil mortos e eu quero que pelo menos 75% seja colocado na conta dos esquerdinhas, por favor. Foram eles que proibiram o uso da cloroquina e de outro medicamente que além de barato estava muito disponível.

Bem, não vou mais tratar desses assuntos ou melhor, vou tentar não tratar mais desses assuntos aqui pois, isso além de tudo, me deixa pra baixo. Não quero mais imaginar que esse país é governado por um bando de idiotas, que só pensam em si. Alias, como está rápida a obra do shopping do pai do governador, né? OK, não é dele, mas ele tem participação. Até ele ganhar nem andar andava, agora, está pronto...

Infelizmente, a vida desses mais de 78 mil não voltaram, será que Darwin tinha razão? Não sei, se assim for, posso ser o próximo...

#fui

sábado, 18 de julho de 2020

Aquele do "quem vai pagar a conta?"

O TEXTO A SEGUIR É OPINATIVO. ELE EXPRESSA A OPINIÃO DESTE QUE ESCREVE. SIM É A MINHA OPINIÃO!

Quando amigos vão a um restaurante ou a um bar, é comum que no final do evento, haja uma discussão saudável sobre que vai acertar a conta. Normalmente, namorados discutem entre si, amigos combinam, e por aí vai. É algo natural, e normalmente até por serem amigos, tudo acontece de forma natural. É sim. Se estiverem em 10 e a conta deu 1000, 100 para cada um resolve o problema. Matemática mais que básica, não é mesmo?

Bom, isso para pessoas de entendimento normal, mas se para você, 2 + 2 = 10 então, você fica com a razão, eu com a paz!

Mas onde quero chegar com essa introdução pouco eloquente?

Vamos lá. No final de 2019, na China, descobriu-se um novo vírus, que na verdade nem era tão novo mas nesse caso, ele passou a se propagar numa velocidade ao qual nós, seres humanos, chineses ou não, não estávamos sequer meio preparados. Veja que, vivemos com vírus e bactérias e outros patógenos o tempo todo e até somos fortes para a grande maioria deles. Segundo Darwin, alguns são mais fracos e isso também é fato, acredita quem quer.

Mas ok, da China para o mundo, não foram necessários nem 6 meses, em bem menos o mundo todo já sabia muito bem o que era o Covid-19. E uma das características do ser humano em relação aos outros animais é que a morte não é mais aceita como algo natural. Corremos a vida quase inteira para evitá-la, por inevitável que ela seja.

Porém a Covid-19 chegou assolando países que tiveram que fechar comércios, empresas, escolas, igrejas (essa ultima não foi assim uma grande perda), enfim, tivemos que encarar algo que ficará conhecido como Novo Normal. Novo Normal? Novo Normal é o kct!

Vou esquecer o resto do mundo, tá. Eu vou me concentrar no brasil. Em 2018, quebrando todas as expectativas de uma parcela menor que 50% da população, elegemos  (eu não) um representante que por respeito ao cargo, precisamos chamar de presidente. Ele tem seus muitos defeitos, incluindo seus filhos e alguns poucos positivos. E em seu governo, tivemos a Covid-19. Ele, como comentei tem seus poucos acertos, bem poucos, mas um deles é que no início dessa pandemia ele pediu às suas fontes que trouxessem algo de bom, no caos que se anunciava. Dessa forma, ele apresentou de imediato uma medicação.

A medicação não foi aceita!

Já se perderam mais de 65 mil vidas, e quem é que vai pagar essa conta?

Bom, eu observei o comportamento de pessoas próximas, as quais, são um bom radar para mim. São pessoas comuns com certo grau de instrução (para minha decepção, isso não se mostrou um diferencia) e é assustador o poder de um dos lados da força. É fato que temos uma imprensa no Brasil que é sensacionalista (essa todas são), e que tem por fatores muito distintos, um grande peso ideológico. Basicamente, temos uma imprensa de esquerda, sim essa esquerda sedutora que já tratei aqui no DLQ uma vez. Não apenas uma imprensa com viés esquerdista como uma imprensa que acha que em pleno 2020 ainda tem o direito de enganar tanto as pessoas. Não apenas com notícias fantasiosas, mas utilizando-se de personagens belos, roupas lindas, aparelhos caros e boa vontade. Se bem que de boa vontade, o inferno está cheio.

Não, o jornalismo no Brasil não entendeu que não adiantar ficar batendo num presidente para discordar por discordar, é necessário uma nova leitura de tudo. As pessoas estão usando perigosamente cada vez mais os recursos disponíveis, leia-se nesse caso, as rede sociais, que falam uma língua mais perigosamente fácil de ser entendida pela maioria.

Aí, dona maria divulga algo que a dioclesina, a maristelina e a dona catifunda acham que é verdade e transmitem para seus filhos e netos que retransmitem e por aí vai. Quando é necessário parar para ver, a coisa já desandou e temos fatores como a criação de um mito idiota com filhos hipócritas e supostamente ladrões, sendo considerados líderes. Ou então, temos ainda a ideia de que um remédio não pode salvar vidas apenas porque a "academia", essa sim mais petista que o jornalismo, acha que não pode dar o remedinho para contrariar o presidente.

Meu ovo... O presidente é um merda, mas a esquerda pseudo socialista de cérebro levemente atrofiado, em conjunto, terão que pagar essa conta. A academia nem deixou que se tentasse e o presidente nem bateu de frente para que se tentasse. Logo, chegaremos aos 100 mil mortos por um vírus, e pelo menos no Brasil, isso é mais culpa da gritaria política do que do vírus em si.

Nunca antes na história desse país, esquerda, centro e direita brigaram tanto, no silêncio, matando tantas pessoas. Lembro-me bem que nem durante o governo lula e aqui no estado do roberto requeijão, morreu tanta gente de uma doença que poderia sim, ser encarada com um medicamento que inclusive já existia.

A fábula da esquerda, com seu discurso de proteção às minorias sociais, já matou muito, mas nada se compara ao que foi feito durante a covid...

Que essa conta seja repassada a todos, sem exceção que não deixaram que se tentasse, seja com a hidróxidocloroquina, ou qualquer outra porcaria que já tínhamos a disposição.

Assim como aquele babaca do dedo a menos disse que foi bem feito por deus a praga do covid, que para cada um dos petistas ou esquerdistas contra a cura da doença, fique em seu coração de pedra, a culpa por pelo menos 1 morte.

#fui

domingo, 12 de julho de 2020

Aquele do "ele é surdo, mas escuta bem pra caralho..."

Hoje o texto é dedicado a todos os meus amigos que são mais inteligentes do que eu e que acreditam em deus. Sim, 99% dos meus 3 ou 4 amigos, acreditam em deus. O restante, putz, não é meu amigo e isso também não me faz falta alguma. Mas o fato é que, com a pandemia, as igrejas estão felizmente proibidas de fazer os cultos, reuniões, missas, orações essas merdas e tal, e não me cobre respeito a isso, pois, eles não me respeitam por ser ateu. Chifre trocado não dói...

E com isso, acredito que o faturamento das igrejas deve ter caído e muito, né, afinal de contas, mesmo que eles não paguem 1 centavo de imposto, sem reunir o rebanho para gerar medo, como vão ganhar o dindin para manter os luxos dos presidentes em Salt Lake City ou dos pastores cheios de imóveis em bairros de Curitiba ou ainda, o dono de emissora de TV? Ixi, sem falar na grana que banca os ataques terroristas e também, o no boiadeiro da TV...

É filhão, a pandemia matou milhões, me trouxe um amor e fodeu as igrejas, que eu espero mesmo que não consigam sair dessa... Sim, eu já fui mórmon e sei bem que, a grana que entra é grande pra caralho, até uma época era eu quem abria os envelopes e eu pude presenciar muita grana entrando.

Ok, mas meu tema não é o dinheiro das igrejas e sim, deus e seus sistema auditivo.

Vamos lá, vou separar deus por religião e sua característica auditiva:

--> evangélicos -> deus surdo -> precisam gritar, precisam gritar cada vez mais
--> mórmons -> deus bom de ouvido -> eles oram baixinho, e deus escuta, olha que curioso?
--> católicos -> deus bom e mais ou menos -> eles até falam baixo, mas cantam demais e alto
--> muçulmanos -> deus burro -> deus não entende, ai eles ficam repetindo, repetindo

Esses são os que eu lembro, ah, lembrei de mais um agora, tem o deus dos testemunhas de jeová, que é turista ou porteiro, pois está sempre com eles passeando ou no portão das pessoas enchendo o saco nas manhãs, e ainda, o do adventistas que é dos contra, enquanto os demais são de domingo o dos adventistas, é de sábado...

Enfim, é assim, das duas uma: ou esse deux se adapta a tudo ou eu tenho razão e ele não existe.

Prefiro pensar que ele não existe!

Bom, sobre os evangélicos, não se se foi minha denúncia, mas o drive-thru da quadrangular parou... hehehe e eu denuncio mesmo...

#segue_o_baile

terça-feira, 7 de julho de 2020

Aquele do "hoje acordei sem saco pra babacas..."

Claro, hoje dia 7/7/2020 não poderia ser ainda mais emblemático para essa nação brazuca do que está sendo. Tivemos um final de semana em que gente babaca achou que ser formado em engenharia era ser melhor que os outros. Essa já ganhou as contas...

E em 7/7, tem uma categoria de idiotas, como essa que acha que ser engenheiro é ser melhor que os outros, que está comemorando. Mesmo que essa comemoração seja pela doença de uma presidente da república, democraticamente eleito por um pleito, validado pela mesma justiça que hoje, é questionada por todos.

Sim, o presidente está com o corona vírus. Agora a petezada, os bandeiras vermelhas, os mortadelas, os especialistas em vírus e transmissão (leia-se petistas) e os pombos enxadristas, estão em felicidade plena. Tive que ouvir que "agora nosso presidente está como um cidadão comum", porém, quis retrucar mas educação não me permitiu: cidadão não - presidente, melhor que eu e você, que nunca fizemos nada além de acessar redes sociais para querer mudar alguma coisa.

Ou seja, a galera da esquerda vai ficar aí, falando, aplaudindo a doença dele e, ai eu me pergunto, e se a hidróxicloroquina fizer efeito?

Aí sim, a petezada bandeira vermelha vai ser desmoralizada do pouco de moral que conseguem manter com um mestre ladrão condenado em 2ª instância por um "tripex e um sítio"...

Quero só ver como será!!!

#fui