domingo, 19 de julho de 2020

Aquele do "Dia do Senhor.. do senhor esquerdinha..."

Eu cheguei a algumas conclusões os últimos dias de reclusão quase total. Muitas dessas conclusões talvez não sejam as mais agradáveis para a maior parte das pessoas mas, infelizmente, não posso desejar outra coisa senão um sinto muito para elas.

A primeira conclusão que eu cheguei é que, qualquer religião, repito, qualquer religião e aqui, eu tiro de jogada as de origens africanas que para mim não não são religiões como a católica, evangélica ou luteranas essas coisas e também não são seitas como a mórmon e muito menos, água de chuchu como o budismo e o hinduísmo.... Ou seja, todas essas que citei são exatamente o fim da humanidade. Enganam as almas que são fracas, roubam o dinheiro dos velhos que tem medo da morte, usam seus jovens como máquinas de divulgação em massa e de quebra sempre tem um "lider" que acaba de alguma forma fodendo (literal e figurativamente) alguém, e os relatos mostram que normalmente são de menor...

Mas é isso, sobre religião só mais um detalhe: não tá podendo ter aquele culto/reunião/missa, na qual o medo do inferno é cada vez mais ampliado e o dízimo, cada vez mais recolhido.. Então, a 4ª Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba no Capão da Imbuia, no maior estilo Punk Rock, resolver colocar um monte de carros no estacionamento, e meteu umas caixas de som que só por deus.... deus surdo viu. Meti duas reclamações por poluição sonora mas qual a minha surpresa saber que isso não é poluição sonora.. Pois a prefeitura de Curitiba não faz nada, deve estar faltando fiscal, né...

Deixando de lado esses hipócritas, hoje é dia do senhor... Do senhor esquerdinha.

Desde o início, quando surgiu a covid-19 no Brasil, havia uma possibilidade de usarmos de forma profilática, ou seja, para evitar uma disseminação maior, um medicamento. O presidente, atualmente sem partido, saiu falando aos 7 ventos e quando ele, sim ele pegou covid, ele mesmo tomou. Mas, a academia desse país, que é um lixo esquerdista na grande maioria, a nata intelectual dessa nação, tratou nos primeiros instantes de condenar o uso desse medicamento. Se apoiaram em estudos que eles mesmos fizeram, e no achismo que apenas a esquerda gosta de usar para f. outras pessoas.

Infelizmente nada foi feito porque, por mais que o presidente tenha sido eleito democraticamente pela maioria dos votos, na academia, a maioria da elite supostamente pensante é de esquerda e perigosamente tendenciosa a fazer sempre o que a esquerda quer.

Conseguiram que o remédio, barato e talvez eficiente nem sequer fosse cogitado. Já passamos de 78 mil mortos e eu quero que pelo menos 75% seja colocado na conta dos esquerdinhas, por favor. Foram eles que proibiram o uso da cloroquina e de outro medicamente que além de barato estava muito disponível.

Bem, não vou mais tratar desses assuntos ou melhor, vou tentar não tratar mais desses assuntos aqui pois, isso além de tudo, me deixa pra baixo. Não quero mais imaginar que esse país é governado por um bando de idiotas, que só pensam em si. Alias, como está rápida a obra do shopping do pai do governador, né? OK, não é dele, mas ele tem participação. Até ele ganhar nem andar andava, agora, está pronto...

Infelizmente, a vida desses mais de 78 mil não voltaram, será que Darwin tinha razão? Não sei, se assim for, posso ser o próximo...

#fui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!