quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Vamos de? --> 2021 chegou ao fim, finalmente...

 Então, nobre leitores. Não farei muita menção do porque não escrevi muito nos últimos dias mas foi necessário dar essa parada e poder prestar uma apoio e suporte que nem mesmo sabia que poderia fazer e muito menos a quem fiz. Mas fiz. Fiquei com uma saudade medonha de escrever, não faltaram pautas mas escolhas foram feitas. Espero muito que quem gosta, volte a ler a partir desse aqui, se possível for.

Mas, vamos lá. Você que lê esse texto, acredita em deus? Acredita no poder das energias? Acredita em coisas que seus pais contaram mas que parecem meio estranhas? Pois bem, o texto de hoje não tem muitos objetivos a não ser causar talvez mais perguntas sobre assuntos já muito batidos. Ou não! Não me sinto mais confortável em escrever sobre assuntos específicos, a menos aqueles que gosto até mesmo por criar certo desconforto em alguém. 

Porém, antes de escrever sem um objetivo específico, quero agradecer aqui, pois em 2021, a coisa foi até que boa. Termino o ano mais feliz do que comecei 2021. Termino o ano com algumas conquistas pessoais que não tinha nem como objetivo no início. Agradeço todas as noites pois não ter ouvido os petistas malditos e assim, não me tranquei em casa, deixando a economia para depois. Não peguei covid-19 mesmo tendo todas as chances para isso. Não tive outras gripes e mesmo com as academias fechadas boa parte do ano, já estou matriculado e começarei 2022 com 70kg, 12% de gordura corporal. Minha meta é terminar 2022 com 75kg e 10% de gordura corporal e um acréscimo de pelo menos 15% na circunferência dos meus membros superiores e pelo menos 20% nas coxas e pernas. Porque quero isso? Porque vivo de desafios. E o que você ou qualquer outra pessoa menos 1 pensa, pouco me importa. Se for para importar, tenho uma coleção de boletos atrasados, posso deixar você escolher um eles, o que acha? Paga o boleto e opina na minha vida por 30 dias corridos, topa?

E quero agradecer uma pessoa em específico e de forma muito especial. Por motivos pessoais não devo citar o nome aqui mas sei que essa pessoa é leitora assídua do meu pequeno DLQ, e ele na verdade até voltou a existir também por causa dessa pessoa. A você, muito obrigado, por tudo de bom e todo bem que tem me feito!

Agradecimento feito, vamos aos fatos. Não há fatos, é apenas um modelo semântico para tentar dar ênfase no texto. O que gostaria de escrever hoje é sobre o maldito remédio que 2 malditos laboratórios lançaram nos últimos dias, os quais, são indicados adivinhem, para a covid. Esse medicamente atua em uma proteína e deve, segundo alguns médicos, ser ministrado nos casos iniciais, quando detectada e confirmada a covid e segundo estudos de 2ª e 3ª fase que, misteriosamente foram juntados e feitos e que comprovaram a eficácia do medicamento. Essa frase ficou estranha mas estou com preguiça de reescrever ela e não houve nenhuma mudança clara de sentido.

Enfim, esses dois medicamentos, de dois laboratórios faz exatamente o que fazia um outro medicamente, que graças à minha oftalmologista que não citarei o nome, eu tomei durante um bom tempo na pandemia o que pode inclusive explicar de eu não ter ficado numa UTI caso tenha tido contato com esse vírus... Sim senhores, vocês ouviram, durante a pandemia alguém falando sobre a ivermectina? Pois é, o remédio estava aí, não se pode precisar quantas vidas poderiam ter sido salvas com o uso de um medicamento idiota, que era barato e de fácil acesso, mas que o consórcio de veículos de comunicação e a petezada volta lula fizeram questão de proibir. Ou seja, muitas mortes tem que ser colocas nas costas desses jornalistas e donos de veículos que de forma desrespeitosa, irresponsável e burra, conseguiram proibir um medicamento tomando como base apenas fatos políticos. É assim que a esquerda costuma agir, pois nunca tem argumento, aí então, tenta na base da cachorrada.

Esses dois medicamento só não serão indicados para matar vermes porque teriam que ser vendidos mais baratos, né?

Terminamos esse ano, pelo menos no círculo que vivo da seguinte forma:

- gasolina baixando na bomba - paguei nos últimos 3 abastecimentos: 6,169 - 6,079 - 5,989

- os trouxas terão que assumir que a ivermectina poderia ter salvado vidas

- o presidente não caiu

- e lula vai voltar!

Feliz 2022 - Esse ano não escreverei mais. Agora é só em 2022, se chegarmos lá, né!

Feliz 2022 e beba muito, fume muito, coma o que quiser afinal, você é livre para pensar e agir, mas faça com cuidado e faça com a certeza que suas escolhas sempre terão um preço! Cuide de você como alguém que te ama muito cuidaria de você!!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Então é Natal, e o que você fez?

 Bem, eu fiz muita coisa. A começar por lutar em chegar no meu 44º Natal vivo, sem covid-19, sem inflamações em meu corpo e com uma boa saúde. Pelo menos física, mental não posso ser tão assertivo. Mas aqui estou e o que você fez?

Eu tinha pensado em escrever um texto na forma de retrospectiva mas não conseguiria qualquer audiência escrevendo sobre isso até porque é difícil concorrer com a globo, né! Hoje, acordei num ambiente diferente após uma noite não muito boa de sono e ao me deparar com o quadro, resolvi assistir televisão mas também resolvi dar uma olhadinha no meu Instagram - @gaertner_lg e lá descobri algo tão interessante que jamais poderia imaginar ver nos dias de hoje: segundo o post que li, o TST - Tribunal Alguma coisa do Trabalho, determinou que motoristas de aplicativo devem ter vínculos empregatícios, e no mesmo instante pensei: tomara que a Uber saia do Brasil. 

Veja, eu já foi motorista da Uber, eu trabalhava aproximadamente 5 horas por dia e ganhava muito bem por essas 6 horas. Descobri, dirigindo para o Uber o verdadeiro sentido de "trabalhar" de forma justa pois, ao dirigir para esse aplicativo, compreendi o conceito de "trabalhe e ganhe", ou seja, eles me pagam tanto por tal trabalho, se eu quiser eu faço se eu não quiser, tem quem queira. Adorei justamente o fato de não ter obrigação, ou qualquer vínculo que não um depósito toda quarta-feira em minha conta corrente. Simples assim!

Mas não, aqui no Brasil, e falo de onde vivo ok, já temos grandes exemplos de reserva de mercado. Aqui em curitiba uma vez, alguns postos de gasolina vendiam gasolina um pouco mais barata se você usasse o serviço de selfservice, ou seja, você mesmo se servia. Eu adorava até porque no meu carro gosto que poucos encostem. Não, não, não, proibiram. Exigiram que houve frentistas pois afinal de contas, precisamos gerar empregos. Um frentista que ganhe 1000 reais, custam quase outros 1000 para o dono do posto pois junto com ele, somam-se vale refeição, vale transporte, vale isso, vale aquilo, FGTS, INSS e outros tributos. Ou seja, o brasileiro ganha pouco porque custa muito caro. Se fosse um contrato PJ, esse mesmo frentista poderia negociar 1900 e com isso, cuidar da sua vida, se quiser guardar, guarda, se quiser gastar, gasta. Mas não, aqui é assim!

E é mais ou menos o que vão fazer com os motoras de aplicativo. E não sentirei pena deles não, na verdade, já que uso pouco, vou voltar a usar os Taxis, pois os app vão ficar tão caros quanto e se for para bancar essa palhaçada, eu não vou fazer parte, obrigado! Não comigo!

Então, deixa assim!

Vamos falar então de natal?

Não, não, sorry meus leitores, não estou afim de escrever sobre Natal. Não sei porque, mas esse ano o "espírito natalino" não chegou nem perto de me atingir. Quer dizer, algumas poucas ações como meu pai, meus filhos, alguém especial e dois presentes das duas firmas, me aproximaram desse sentimento bom. Mas o climão mesmo, ainda não chegou! Quem sabe, até a meia noite tem chão ainda, não é mesmo?

Enfim, né!!!


quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Sem assunto...

 O texto de hoje pode ser chamado de linguiça ou de aleatório. Porém, ele existe, ele está aqui, só não tem muita certeza de porque chegou até aqui e para que ele serve. Mas vamos lá, pois o processo mesmo é o de tentar escrever sempre para que não aconteça o que aconteceu com o Brasileiro que vai eleger lula no ano que vem, ou seja, cair no esquecimento. Sim, senhores leitores, esquecemos tudo o que aconteceu e felizmente - para os lulopetistas corruptos e bandidos, ele estará de volta. 

Ele já declarou mais de uma vez que pretende voltar, que vai controlar a mídia e outras apostas meio petisteiras que ele sempre sonha megalomaniacamente, ou seja, o velho, gagá e bebum, vai voltar e com ele todas aquelas coisas que já sabemos, minorias ganhando espaço, LGBTìsmo se tornando obrigatório, petismo nas escolas, aquilo que a esquerda sempre tenta fazer onde consegue governar.

E pior, agora que um amiguinho dele foi eleito no Chile, que logo vai se arrepender disso, ninguém mais segura. Serão 8 anos de trevas até que o povo eleja outra pessoa, seja de centro ou de direita. Mas o que podemos fazer nesse país que tem o whatsapp como fonte de informação?

No qual, qualquer ministrinho do STF manda prender, soltar entre outras ações ridículas e imbecís?

O que podemos esperar de u país onde um governo não renova um contrato de pedágio e na semana seguinte, já temos buracos, engarrafamentos por conta da falta de guinchos e outras coisas absurdas?

O que podemos esperar de uma país que mesmo governado pela esquerda por quase 16 anos, mantém, repito, mesmo sendo governado pela esquerda, um imposto sobre a renda tão absurdo? Absurdo, claro, consideramos o que temos em troca, e ainda, acrescido de impostos estaduais tão imbecis quanto os governados e ainda para finalizar alguns impostinhos municipais. 

O que podemos esperar dessa nação que está cagando para tudo e que só se importa com o próprio rabo?

Pois então, que o barba volte, controle a mídia e peço mais, que ele consiga mesmo tornar obrigatório que sejamos todos LGBTOHAGRYSOANSG, e todas os trâmites da esquerda sejam realmente impostos à sociedade, talvez ela assim, aprenda que só mesmo mudando de pensamento, mudaremos essa nação.

Que não sejam perdidos os avanços tantos que tivemos nesses quase 4 anos últimos, que só uma pessoa com coragem poderia promover. Ok?

Fui

terça-feira, 21 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Precisamos mesmo ir?

 Me diga uma coisa, mas seja sincero de verdade: para que você precisa de tanto? Para que você ter uma vida tão intensa? 

Não que isso realmente seja da minha conta mas tenho que perguntar para compreender se sou uma bolacha fora do pacote ou se estou num caminho mais ou menos certo. Eu ainda não entendi porque preciso correr tanto, porque preciso estar tão conectado, com aplicativos mil tocando a qualquer hora, como se estar vivo 24 horas por dia já não fosse o suficiente. Não sei, parece que está sendo meio demais para fazer as coisas.

Whatsapp, Facebook, Instagram - para citar alguns, a cada instante me alertam de que há vida do lado de fora do meu mundinho, cobrando e exigindo uma resposta ou alguma informação. É uma foto nova de alguém ou uma mensagem de um cliente, ou seja, sempre há algo tocando na barrinha de notificação.

Quando isso tudo surgiu, lembro-me bem, eu usava o mIRC e depois um outro mensageiro lindo, cujo meu número lembro até hoje, era 4692619, o famoso ICQ, depois veio o MSN da microsoft que até acho que tinha outro nome e depois outro, enfim, não sei ao certo os nomes. Era uma fase legal, a gente usava eles para se divertir e não como uma "obrigação" ter. 

Junto com isso, aprendemos algumas frase preocupantes como por exemplo aquele em que a pessoa afirma que seu dia deveria ter 30 horas, ou que o dia é curto demais e assim por diante e eu me pergunto, onde vamos parar com tudo isso?

Qual é o limite?

Estamos vivendo no limite já? No limite de nossa natureza, no limite do que aguenta ou não o corpo humano?

Fica a reflexão, eu, aos poucos, estou tentando desenhar algo diferente do que tenho até então, mas ainda não encontrei uma resposta a altura.


segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Quem não acredita, é melhor começar a acreditar...

 Nos últimos dois meses esse assunto esteve sempre em pauta e não acredito que vai deixar de estar por enquanto. E eu, como gosto de acompanhar, não vou deixar de escrever sobre ele sempre que eu achar oportuno.

Veja a sequência numérica abaixo e depois escrevo sobre ela:

Semana 1: 6,189; 6,179; 6,159

Semana 2: 6,089; 6,079; 6,049

Semana 3: 6,019; 5,949

Sim, estamos tratando de um mesmo posto do combustíveis, instalado há décadas no mesmo endereço, porém com donos diferentes e que, nas últimas semanas praticou os preços conforme descrito acima. Consegue perceber algum padrão? Eu consigo e o padrão que observo é que nas últimas 3 semanas o preço da gasolina aditivada variou um pouco. Se contarmos a minha primeira leitura, que inclusive foi no dia em que abasteci até a última leitura, temos uma diferença de 0,24 R$. Para baixo. 

No meu caso, meu carro usa 53 litros por abastecida. Essa diferença de 0,24 vai me render 12,72 R$ a menos no abastecimento. Parece pouco? Serão 2,13 litros a mais que poderei colocar no outro abastecimento. 

Eu conheço diversas pessoas que sempre dizem que não acreditam que na bomba a coisa vai acontecer, mas não podemos esquecer que temos sim uma economia livre ou o mais próximo de ser livre o mercado. Sem interferências, é assim que deveria ser, até porque existe uma condição de deixar atrelado o preço do combustível ao valor do dólar e os valores nos mercados internacionais.

A mídia, por sua vez, não fará qualquer menção referente ao preço quando este estiver caindo, como está. Por qual razão? Simples, notícia boa não dá audiência, e isso é nossa culpa. Minha, sua, de nossos pais, filhos, tios, até porque, somos nós que consumimos essa mídia maldita.

Então, observe nos postos onde você abastece seu carro ou então, nos postos por onde você costuma passar, verás que sim, há uma diferença e ela não é tão pouca assim.

Espero que você dê pelo menos o crédito de não culpar que não é o culpado por tudo isso e não são apenas os governos estaduais e federal que merecem a culpa. Donos de postos, petrobrás e seus acionistas e tudo mais, é uma máquina muito complexa para podermos culpar apenas 1 deles.

Fiquem bem!

domingo, 19 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Não sejam assim, moças e rapazes, não é legal...

 Oieeee, hoje é domingo e meu texto vai ser como uma homenagem aos meus dois filhos, LH e LE. Hoje eles estão com 18 e 15 anos respectivamente. São homens íntegros, educados, estudiosos e tudo mais que eu possa elogiar. São moleques muito bons mesmo. 

Boa parte, mérito da mãe deles que os criou sozinha, como ela mesmo me disse uma vez. Mas, tem algum métiro meu também, até porque acredito que servi de exemplo. O mais velho até hoje me emociona quando comenta sobre seu ideal de relacionamento que, por mais que fosse desejo ser babaca como a maioria é, ele ainda é do tipo romântico apaixonado e não preciso dizer o quanto se ferra por isso. Mas, o texto é sobre outro exemplo.

Quem lê este blog a mais tempo, talvez já tenha percebido que sou apaixonado por carros, tecnologia e claro, Fórmula 1 - mesmo sabendo que a Fórmula Indy é muito mais tesão. Porém, a fórmula 1 esse ano foi um grande palco de um modelo que desde a primeira gravidez eu queria que meu filho não seguisse.

No último domingo, o campeonato acabou e o Max foi campeão. A briga o ano todo foi feia e ele foi um pouco melhor que o bebê chorão, que chegou em segundo lugar. O bebê chorão, foi ultrapassado na última volta, por causa de uma bandeira amarela, porém Max estava com os pneus macios - mais rápidos e muito mais novos o que permitiu que Max, piloto de qualidade, conseguisse mesmo com um carro inferior passar o Bebê chorão - piloto mediano de carro bom (assim como o tal Ayrton Senna era). Foi uma das ultrapassagem modernas mais bonitas da F1.

Bebê chorão, já chorou no carrinho dele antes de parar. A hora que parou, parecia ter vergonha de sair do carro (eu também sentiria - corridas atrás ele tentou tirar Max da corrida, ambos saíram e ele não foi punido).

Bebê chorão perdeu e mostou-se o mais antidesportivo que eu poderia supor/imaginar. Chorão, quer ganhar no tapetão, comprimentou Max por obrigação. Um péssimo exemplo de atleta, não atoa é um tipinho muito parecido com seu bom amigo Neymar, que normalmente só sabe ganhar, quando começa a perder, se joga no chão e chora. Formamos uma geração que só sabe ganhar, e eu, fiz questão de ensinar meus filhos que, a vida é feita de vitórias e derrotas..

É preciso saber perder também, não vamos ganhar a vida toda, né?

sábado, 18 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Cartinha ao Papai Noel

 Querido Papai Noel,

Eu acho que não tenho sido um bom homem, mas talvez seja por culpa de eu nunca ter escrito antes que você, bom velinho, não tenha trazido os presentes que tanto quero. Eu achei que eles iam chegar só através do meu desejo, mas infelizmente me vi obrigado a escrever para você.

Como falei, eu não tenho sido um bom homem. Infelizmente eu não me enquadro nas novas regras sociais as quais estão na modinha, quais sejam: 

- não acredito no aquecimento global;

- sou ateu;

- não vou usar a lingua wilinile, não vou usar o artigo neutro e não vou votar por pressão de grupos sociais;

- não assumi um ladro extremista mas também não voto nem Nele nem Nelle.

Mas, mesmo pensando não ser merecedor tenho um montão de pedidos para te fazer. Primerio eu quero uma Ferrari amarela. Pode ser qualquer modelo, mas tem que ser Ferrari, amarela e original, pois como você bom velinho sabe, aqui no Brasil, comprar similar é quase uma regra. Depois, se você puder trazer junto, eu quero uma lancha de 18 pés, se puder ser cabinada, quem sabe eu durmo apoitado na Ilha do Mel. De grande eu queria isso, mas também queria um iPhone 20, um Smartwatch e uns 10 paineis solares para contribuir com a geração de energia.

Um chinelo bonito, um cinto e um jogo de cuecas podem vir numa mochilinha dentro da Ferrari, tá?

Então, Papai Noel - acordando do sonho, eu queria que você me desse de presente apenas 1 coisa: Paz. Sim, você poderia pulverizar PAZ para todos. Paz para aqueles que precisam, Paz para aqueles que acham que não precisam, mas precisam, Paz para aqueles que realmente não precisam. Ok, Paz e Luz, para iluminar todos. Somos, só no Brasil, mais de 200 milhões de seres e precisamos de paz para poder melhorar nossa convivência social, pois está complicado. 

No trânsito, só intolerância. No ônibus, no mercado, no estacionamento, em todos os lugares, é só intolerância e algumas pitadinhas de bondade e gentileza.

Papai Noel, traga paz, pois com paz, eu acredito que conseguiremos saúde, tranquilidade, dinheiro e tudo mais que quisermos. Com paz, acredito que poderemos ser melhores seres vivos e humanos. Sei que talvez você não me dê esse presente, mas é o único que realmente quero, os demais, se um dia quiser eu posse tentar conseguir.

Então é isso, se for por falta de cartinha, agora foi. Vou esperar você, mas aqui em casa, não tem chaminé, isso será um problema? Se sim, me avisa uns 3 dias antes que darei um jeito de construí-la, mesmo que seja com minhas mãos.

Obrigado por ter lido até aqui, mas fica mais uma dica, Papai Noel: aqui no Brasil, Papai Noel politicamente correto, é magrinho tá, não pode ser mais o bom velinho fofinho!!! #ficaadica

sexta-feira, 17 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Respeite os mais velhos...

 Hoje, ao chegar em um dos ambientes onde presto serviços e ouvindo conversas alheias, me deparei com uma frase, novamente frases, que me causou um pensamento mais demorado. Normalmente, tudo que vem dessa pessoa em questão, entra por um ouvido e sai pelo outro, mas dessa vez, fiquei pensativo. A frase em questão foi a seguinte:

"Cuidado quando for falar com a (fulana), porque ela é dessa jovens que acham que sabem tudo que eu aprendi na vida e tem apenas 26 anos..."

Veja, eu sei o contexto no qual foi usada essa frase. E mesmo nesse contexto essa frase só mostra uma coisa na minha opinião: ignorância e idiotice.

Ignorância porque, talvez para esse senhor, o fato de ser senhor signifique sucesso, riqueza, fama ou algo assim. E não é bem o caso, mas não vou entrar no mérito.

Idiotice porque, ao invés de estimular a conversa entre gerações, o retardado faz o contrário, aumenta o abismo que existe. Jovens e velhos, cada qual, tem sua experiência de vida. Eu, por exemplo, ter vivido 44 anos não me dá maiores chances ou melhores conhecimentos que meu filho de 18 anos. Não... Ele tem as experiências de vida dele e terá muitas mais, nem por isso ele é inferior ou superior a mim. Eu, por exemplo, segundo meu pai me tornei um computador, pois pesquiso e posso dizer que sei muita coisa. De como funciona uma porca autotarrachante até como é o mecanismo que move os flaps numa asa de Boing 737. 

Mesmo sabendo como funciona um sistema de injeção de combustível direta ou então qual a função da sonda lâmbda num automóvel, nada disse me coloca numa posição melhor ou pior do que ninguém. Eu sempre aprendi com pessoas de todas as idades, homens, mulheres e outros, brancos, índios, amarelos e negros. Sempre amei conversar com pessoas mais velhas para ouvir histórias que, se eram ou não verdade, para mim tanto faz, o contato é que valeu a pena de qualquer forma.

Esse cidadão, tem por primazia, achar que está num patamar que nem nas próximas duas encarnações conseguirá, pois a ele falta algo tão simples quanto intangível: humildade. Aprendi com meu pai quando tinhas uns 10 anos, acho, que humildade não significa pobreza, por isso digo que humilde, são poucos. Eu mesmo preciso aprender ser humilde, pois com essa soberba de achar que sei de tudo - e por mais que muita coisa eu realmente saiba - me colocar nessa posição apenas me afasta das pessoas que vivem e sabem viver.

Porque eu preciso saber, por exemplo, como funciona a política brasileira se para viver, eu nem preciso dela?

E, se experiência de vida valesse tanto assim, com toda certeza, seria pré-requisito de contratação. E não é, aliás, é exatamente o contrário, o melhor é você ser novo e sem experiência pois só assim, o mercado tende a te absorver.

É isso, bom fim de semana a todos e vamos nessa!!!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

Vamos de? --> "Fique em casa, a economia a gente vê depois..."

 Então, garanto que pelo menos uma vez você ouviu essa frase ou então, talvez tenha sido uma das pessoas que propagou essa frase. Pois é, já que o tema do texto é uma frase vou usar outra frase que realmente não sei a autoria mas que gosto bastante pelo peso respeitoso que tem: "posso até não concordar com sua opinião, mas defenderei até a morte o direito de você tê-la!"

Mas, diferente de apenas respeitar e defender seu direito, eu acho mais que justo que seja feita a responsibilização quando caso for. Vamos lá, se em sua opinião, supondo, ok? Mas digamos que um dia você acorde e decida que desse dia em diante, vai andar de moto sem capacete e vai sair apregoando que pilotar moto sem capacete é legal, é cool, é massa! Que a lei se exploda.

Claro que aí, não é só opinião, mas de qualquer forma torcerei noite e dia que você seja pego pela polícia, pague a multa que tem que pagar e até perca o direito de dirigir se caso for. Ou seja, se você quer falar algo, assuma.

Vamos há alguns fatos que são relevantes. A OMS - Organização Mundial da Saúde - que leia-se aqui, não é a dona da verdade mas tenta ser, declarou, ainda no início da pandemia enquanto todos agiam feito baratas tontas que o isolamento social deveria ser utilizado com cautela e que ele não era a forma ideal de lidar com a pandemia. Claro, ela não foi ouvida.

Prefeitos e governadores baixaram decretos atrás de decretos proibindo as pessoas de saírem, de trabalharem, de viverem. Ok, era para preservar o SUS, mas, e todos aqueles que precisavam das pessoas nas ruas? E todos os empregos que deixaram de existir? Não me venha dizer que o governo federal é o culpado pois ele inclusive era contra o isolacionismo, mas foi voto vencido. Fomos sumariamente proibidos de sair.

Especialistas sérios, que não dão entrevistas nos canais lulopetistas, explicam que o número de mortes, acompanhado e motitorado pelos zé-covinhas e maria-covinhas, seriam muito semelhantes se pudéssemos ter vivido. Mantendo empregos e a economia mais estável, então porque fizeram o que fizeram?

As explicações, por observação eu até tenho, mas não vou dizer aqui. O que eu gostaria é que os responsáveis começassem a assumir suas responsabilidades. Mais de 14 milhões de pessoas estão sem emprego, mesmo com o maior programa de ajuda do governo como nunca antes visto, ainda assim, estamos economicamente ferrados.

Os responsáveis por essa abordagem destruidora precisarão pagar, cedo ou tarde.

"Fique em casa, a economia a gente vê depois", será o slogam de punição dos responsáveis, a história trará essa punição, eu estarei vivo para ver!!!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Orçamento anual...

Eu não sei quantos dos leitores desse blog fazem orçamento anual. Eu não faço, por um simples motivo: não tenho renda atualmente e assim, a única conta que faço é de quais boletos vou atrasar no mês e quais vou tentar pagar. Mas a prefeitura tem dinheiro a rodo e para usar esse din-din ela precisa administrar de forma coesa, planejada, bem pensado. Sim, é desse dinheiro que o básico que o governo deve nos prover - segurança, saúde e educação é conseguido.

Então, está rolando uma votação na Câmara Municipal de Curitiba, composta democraticamente por vários comentaristas esportivos, alguns defensores dos animais - irracionais, claro, não dos animais humanos, e sei lá mais o que, ou seja, uma galera democraticamente eleita e tal.

Veja como é justa uma parte de orçamento, que me chamou muita atenção:

Total: R$ 9,046 bilhões 
--> Previdência (R$ 2,23 bi) = 24,65%
--> Saúde (R$ 2,15 bi) = 23,43%
-->Educação (R$ 1,7 bi) = 18,79%

Véi, na boa, tem algo errado e que precisa ser mudado. Não dá para imaginar que, 24,65% do meu imposto vai para pagar aposentadoria de uma casta da sociedade, selecionada enquanto apenas 18,79% vai para pagar uma educação a qual nem mesmo meus dois filhos utilizaram. Não é possível acreditar que se gasta mais para pagar aposentados do que se gasta com a saúde. E olha que um programa alimentar mais elaborado exigiria muito menos dinheiro. 

É papo sério, gastamos praticamente 1/4 do que se arrecada apenas para pagar aposentados? Então, basicamente, eu que hoje sou autônomo e começarei a pagar trabalharei 3 meses do ano para pagar aposentados e pensionistas? Ok, eles trabalharam, tem que receber, mas será que na era dos aplicativos para celular, na era pós reforma da previdência com os contratos PJ comento solto ainda temos que ter concursados com salários astronômicos e vereadores ganhando rios de dinheiro para isso? E sem contar as mordomias que nunca aparecem de forma clara nesses textos, né?

Eu fiquei curioso e com medo de procurar o orçamento do governo do estado que em ano de eleição já prometeu até aumento gordinho para professores - máquina de ganhar voto, né...

Enfim, acho que me revoltei mas, talvez o grande lance seja realmente esquecer isso, estudar como um camelo e conseguir enfim a minha vaguinha num cargo desses... talvez seja isso que deva ser feito.

E alguém ainda vem me falar em desigualdade social? Quer desigualdade maior que um funcionário público ter estabilidade de emprego, bons salários, regalias mil e ainda custar quase 25% do orçamento do município? Para quantos isso?

Sério, veja os números, por favor:

População estimada de Curitiba em 2021: 1.963.726 pessoas

Número de funcionários públicos (estimativa): 121.295

Ou seja, aproximadamente 6,176% da população tem regalias que as demais, 93,824% pagam... Justo, muito justo...


terça-feira, 14 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Maria vai com as outras, parte 2

 Acredito que o tema energia elétrica - Brasil - deve ser exaustivamente explorado. Até porque, uma das característica do Brasil era - hoje duvido que ainda seja - seu grande potencial hidroelétrico. Sim, temos muitos e muitos rios que poderiam ser represados para nos fornecer energia limpa, de baixo custo e com um investimento que desde a época que meu pai trabalhava na Copel era muito sabido: no primeiro giro da turbina, o investimento praticamente se pagava. Sim, o investimento é extremamente baixo se considerado com outros modais. 

Se considerarmos os processos industriais e construtivos empregados, com toda certeza, os menos poluentes são os de uma usina hidroelétrica. Basicamente se usam aço - muito aço, concreto - muito concreto, um pouco de tecnologia - computadores e semicondutores, e em alguns casos - raros, um gás inerte conhecido como SF6 para isolamento das linhas de transmissão do gerador até a subestação primária. Ou seja, se comparado ao moral solar, a diferença é brutal.

Você deve estar se perguntando: mas quem é esse LG para estar escrevendo sobre isso? Bem, eu também me pergunto, pois deveria estar assistindo ao Jornal Nacional e ficando impressionado com tanta notícia ruim sobre a economia, a guerra que se anuncia para 2022 - cita a corrida presidencial e bla bla bla.

Não, não... Eu gosto de números e gosto de estudar. Eletricidade é uma de minhas grandes paixões. Desde criança eu gosto de saber o consumo dos eletrodomésticos, dos equipamentos. Antes mesmo de as lâmpadas de led surgirem comercialmente, eu e o Erlon, amigo de loucuras e projetos nunca acabados já importávamos lâmpadas de led para nossos carros. Aqui, na casa de meu pai, há mais de um par de anos, trocamos todas as lâmpadas por lâmpadas de led. Trocamos geladeira, trocamos televisores, instalamos fotocélulas e tudo mais que poderíamos fazer. A conta, caiu no último ano, mesmo com a bandeira vermelha de mais ou menos 500 reais para algo em torno de 250 reais. E não fizemos isso pensando na camada de ozônio ou por causa do carbono, não, fizemos isso para economizar mesmo.

O foco não é bem esse, eu sei. Mas só para comparar, quando meu irmão fez 15 anos, hoje ele tem 39, meu pai deu a ele um carrinho de controle remoto movido a gasolina. Na época, o vendedor ofereceu pilhas recarregáveis da Panasonic, cada uma custa na época, 1 dólar. Meu pai comprou, foram 8 pilhas para o controle e 4 para o carrinho, somando 12 dólares. As pilhas, duraram anos, o que gerou uma economia estúpida. Mas ainda assim, elas usavam energia elétrica para serem carregadas. Pouco, mais usavam.

Hoje, se contarmos por baixo, na casa do meu pai, são 5 carregadores de celulares, 1 carregador de tablet, 1 carregador de caixa de som JBL, 1 carregador de caixa de som LG ou seja, continuamos consumindo energia elétrica que deveríamos economizar utilizando painéis solares ou algo que o valha. Quem sabe, limões, como fazíamos na escola (nunca fiz, mas em escola de gente rica eles fazem, hehehe)

O que quero comentar é que, o mundo logo entrará em colapso. Eu sei que acontecerá. Mas não é por causa da ação humana, somos muito cocô de galinha para fazer isso mas na eminência dos desastras, culpar nossos ancestrais parece mais natural do que entender que "não há o que faça", vai acontecer. A terra sempre se autorregulou. A era da glaciação sempre se anuncia com uma era de aquecimento global, é só estudar para saber.

A grande questão que eu me coloco hoje é: onde acharemos tanta energia para os carros, celulares, motos e demais gadgets que estamos produzindo? Onde acharemos?

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Maria vai com as outras, né?

 Você sabe qual o maior dilema do ser humano moderno hoje, além de querer ficar rico sem trabalhar? Se você pensou em como gerar energia limpa sem gastar muito e poder ter uma bateria no seu iPhone que dure dias e dias sem acabar, você acertou. Desde que surgiu e começou a ser utilizada, a energia elétrica provocou uma transformação na forma como fazemos as coisas. Proporcionou conforto, diversão, ferramentas e tudo mais que possamos imaginar. Nos Estados Unidos, por exemplo, até a morte ela provocava...

Mas, você tem ideia de como funciona o processo de geração, transmissão e utilização da energia elétrica?

Bem, eu sei como funciona mas não vou ficar explicando aqui, acho que você leitor tem toda a capacidade de digitar no google e descobrir como as coisas acontecem. Até, se fizer isso vai descobrir que temos diversas "matrizes" elétricas mundo afora. Vou listar abaixo algumas, mas todas elas tem algo em comum que explicarei após a lista, bele?

Matrizes elétricas mais comuns e alguma informação a respeito:

- Eólica: precisa de vento, funciona em alguns lugares, gera pouca energia se comparada a outras matrizes, custa caro para montar os ventiladores e é mais para inglês ver;

- Solar: essa é uma piada quase sem graça. Precisa de zilhões de km² para gerar um tico de energia e só funciona se tiver sol;

- Térmica: usa gás, óleo, lenha, carvão, lixo, qualquer coisa que se possa queimar. Os ecochatos dizem que ela polui muito e por isso, é uma péssima ideia, até porque poucos ecochatos fazem mais barulho que as turbinas funcionando. Eles querem seus iPhones carregados, mas não querem as usinas...

- Hidro: uma das melhores: Usa água represada para girar uma turbina que gera energia. No Brasil, é a mais abundante e claro, alvo dos ecochatos e defensores dos bichinhos;

- Nuclear: aqui, há dois tipos - fusão e fissão. O ser humano ainda não foi capaz de usar a fusão nuclear, apenas a fissão. Essa energia é limpa, com alta capacidade de geração, quase um mundo ideal, não fosse um incidente em Chenobyl e mais recentemente em Fukoshima, algo assim, para que os ecochatos começassem a gritar de novo.

Bom, de todas as matrizes, eu investiria tudo o que tivesse, se tivesse, em energia nuclear. Mas eu sou eu!

E sabe o que todos esses tipos de geração tem em comum? Sim, eles geram energia que se não for usada na hora, vai para o limbo. Não há como armazenar energia assim como não há como armazenar vento, mesmo sendo o grande sonho da ex-presidente ninguém lembra Roussef.

Ou seja, temos uma demanda exponencialmente maior de energia, afinal, todos queremos ar-condicionado, lavadoras, refrigeradores, carros elétricos, motos elétricas, ou seja, todos queremos usar energia elétrica pra caralho mas não permitimos que o aumento na geração dessa energia toda.

Veja bem, energia elétrica precisa de investimento, são grandes obras. A ultima grande usina feita no Brasil foi um alvo de chatices dos ecochatos de iphone. Não temos novas usinas pois não podemos mais mexer nos cursos dos rios, não podemos investir em tecnologia nuclear pois não temos estudo de qualidade que qualifique brasileiros para tal, não temos vento em todo o brasil e para enfiar paineis solares em todo o brasil teríamos que escolher entre continuar exportando commodities como soja ou então, fazer campos de energia solar.

Ecochatos, o que vocês sugerem? Pergunto pois, empresas como Volvo Car, Audi, BMW entre outras já anunciaram que vão parar de fabricar carros movidos a combustíveis, sejam fósseis ou não. Vocês ganharam essa briga. Em aproximadamente 10, 15 anos, não teremos mais o prazer de dirigir porque vocês infernizaram e conseguiram. Hoje, eu não posso mais contar piadas, não posso escrever o que quero e logo nem dirigir poderei.

Vocês estão ganhando, mas, onde eu vou ligar a fase e o neutro da minha casa quando seus veículos elétricos não tiverem energia para serem recarregados?

Como faremos quando vocês vencerem essa batalha e descobrirem que o usa da gasolina não era tão ruim assim? 

Enfim, deixa quieta, vocês já ganharam mesmo...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Visitinha ao supermercado...

 Aos poucos, estou voltando a fazer algumas coisas que eu realmente não queria mais ter que fazer. Mas faço com satisfação pois é para alguém, e quando me sinto útil, não vejo problemas. Veja bem, hoje eu fiz uma visita ao supermercado. Não gosto, não acho agradável e muito menos seria uma escolha minha. Mas meu pai gosta, ele vai, observa os preços, passa horas "passeando" no mercado se deixar. Pois bem, rumamos e com uma listinha pronta, feita pela dona Florete.

Chegamos lá e o assunto não poderia ser outro que não a questão dos preços. A começar pelo leite, não vi muita variação. Há marcas custando 3,69 e marcas custando 3,09 e o desnatado em promoção por 2,89 - azulivre comprar um leite longa vida desnatado, acho que nada pode fazer mais mal para um ser humano do que leite desnatado longa vida...

Mas, seguimos. O arroz, que outrora custou 21,99, está 17,99. Outras coisas como macarrão, a variação foi pequena nos últimos meses e alguns produtos como o café, que custava 10,99 agora custa 15,99, mas ainda não encontrei uma justificativa plausível. Enfim, não consegui observar nada do que os canais de tv lulopetistas estão dizendo de aumentos que superam 50% e que blablabla e blablabla. De duas, uma: ou fui no mercado errado ou então, toda essa questão/discussão, não é bem o que estão vendendo.

Enfim, somando isso o fato de que estamos na segunda ou terceira semana sem aumento da gasolina, o dólar apresentando certa estabilidade e a taxa selic subindo nas alturas, parece que tudo está voltando ao quase normal. 

Porém ainda assim eu estava refletindo: o galão de água, aqueles de 20 litros que algumas famílias compram, e que no caso para comparação, a minha também comprava há muitos anos, até mesmo antes dos meus filhos nascerem, naquela época, custava em média 7 reais o da marca mais conceituada em Curitiba, que não vou citar, é claro. Hoje, o das marcas mais normais, está custando absurdos 13 reais, nossa, olha como aumentou!

Outro produto que tenho como parâmetro, infeliz parâmetro, mas ainda assim uso é a lata de coca-cola. Há muito anos quando começei a observar, ela custava 1,50 nas bancas e nos mercados, em média 0.79. Hoje, nas bancas, postos, lanchonetes, por menos de 3,50 é raridade, e nos mercados, a média é de uns 2,79. Nossa, que absurdo, como aumentou e ninguém fala nadinha de nada....

Enfim, foi um passeio no supermercado que me levou a essas reflexões. E elas não vão parar, infelizmente. Em breve, vou fazer um texto, considerando os valores da gasolina de 1998 até hoje, para podermos traçar o comportamento desses valores nos tantos governos que passaram, claro que considerando a inflação e também o valor do real frente ao dólar. Será interessante? Não sei ainda, mas talvez seja uma brincadeira mais que saudável!!!

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Vamos de? --> FAKENEWS, vamos de fakenews

 Olá, senhores leitores. Hoje nós vamos de fakenews, sabe como é, vamos de mentiras transvestidas de verdades convenientes. Ou seja, um texto carregado de hipocrisias que apenas os ptistas mais sábios Marxistas entenderão. Lembre-se que o todo esse texto é apenas uma fakenews, e nada tem de verdade.

Para começar, vamos ao fato que o valor do dólar, frente ao real, está cada vez mais estável. Isso não quer dizer que baixou e sim que está estável, ou seja flutuando pouco. Uma pena que isso importe tão pouco, não é mesmo. E junto a isso, houve uma forte retração do preço do petróleo nas cotações internacionais, mais isso importa ainda menos, afinal de contas, para todo bom "esquerdinha", notícias boas são apenas mentiras, ou seja, as fakenews as quais, esse texto está repleto.

Mas não para por ai: enquanto o brasil abriu e liberou tudo, o mundo está em alerta. Enquanto discutimos quais estados/cidades irão liberar o carnaval, países pouco desenvolvidos como Itália, Alemanha e Japão estão voltando com as restrições. Estádios cheios, igrejas repletas e logo logo carnaval, sem contar nas grandes baladas lotadas e o mundo com medo de um vírus.

Como comentei, esse texto é muito carregado de fakenews, como por exemplo o fato de que, em plena recessão técnica, ou seja, estamos em alerta para isso, o governo do estado do paraná resolve aumentar o salário, em véspera de ano eleitoral, dos professores, que chegaram ao valor de 5.500,00 R$ de piso salarial, ou seja, vão ganhar bem pra caralho considerando o padrão médio dos brasileiros. Então, fakenews ou não, agora não dá pra dizer que o brasil não investe em educação, pois, pelo menos no paraná, os professores serão tão bem remunerados que duvido que algum professor ainda queira trabalhar na rede privada, sendo a rede estadual, a que mais paga, né mesmo?

E para fechar, vamos para mais uma fakenews, essa a mais absurda de todas: a gasolina está na segunda semana sem aumento e os postos começam a "brigar". Se antes tínhamos gasolina sendo vendida por 6,599 hoje já é possível encontrá-la por 6,059 ou até menos. Petezada deve estar louca de raiva pois diziam que tudo estava perdido, mas esqueceram de combinar com os russos, como citava o bom e falecido Boechat.

Enfim, se você leu esse texto até aqui, deve estar enjoado já de tanta fakenews. É muita mentiva por linha quadrada de texto, não é? Pena que ainda temos a tal liberdade de expressão no brasil, se assim não fosse, eu já estaria tentando apaguar esse texto. Mas, por hora é isso!


segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Vamos de? --> UMX PEQUENX HISTORINHX DE COMO ELXS SE CONHECERAM

 Seguindo a novx “ordem mundial”, hoje oficialmentx escrevx meu primeirx textx usando o pronomx neutrx. Confesso não estxr sendo nada fácil e olha que estx apenas nx primeirx parágrafx.

Mas, apesar do word estar dizendx que estx (x não tem acentx) erradx, vou insistir. Afinal, logo elxs ganharão e seremxs obrigadxs a aceitar.

Para testxr x novx formx de escrever, vou contxr x histórix de um casal que se conheceu no carnaval de 1970. Era umx noite de carnaval, elx meio bebacx elx se encontou e assim foi. Como nx músicx do Legião Urbana, “muitx mesmx para tentxr se conhecer”. Dessx encontro surgirxm 3 filhxs, que por mais que tenham suas escolhxs definidxs, aqui serão apenas elx, elx e elx.

Como já não aguentx mais usar essa porcaria de x, vou encerrxr por aqui. De fé, se issx se tornxr obrigatórix eu desistx de escrever pro resto da vidx.

Sérix.


domingo, 5 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Tudo se ajeita, não há o que faça...

 Pois então, né é que tudo vai se ajeitando? Ontem, me perguntaram o que eu achava sobre essa nova cepa do vírus, que agora ganhou um nome ao invés de números e letras como a anterior. Eu apelidei carinhosamente esse novo vírus de B1 e B2, assim como os antigos personagens de um desenho animado chamado Bananas de Pijamas. Esses últimos, claro, jamais voltaram a existir até porque hoje em dia, bananas com pijamas seria um ultrage - tanto para as bananas, quanto aos pijamas e pior ainda para as crianças que possivelmente assistiriam.

Mas, a respeito do questionamento que me foi feito, eu realmente improvisei uma resposta. Há tempos tento não ouvir informações sobre veículos de comunicação e agências de estado, como exemplo. Não que eles não tenham um papel importante apenas não me satisfaço com o que eles dizem. A Omicron, que assim seja seu nome, ao que tudo indica, é altamente transmissível e letalmente insignificante. Um médio que não citarei o nome por não ter autorização expressa, em uma postagem em sua rede social, chegou a definir o(a)(X) Omicron como um virus vacinante. Ou seja, ele chega, e por sua característica de mutação, acaba por imunizar a população.

Finalmente, respondi ao questionador: não sei. Acredito que vão tentar fechar tudo novamente, teremos hospitais lotados e talvez um mundo de mortos, mas sairemos mais uma vez vivos. Ou seja, tudo seja ajeita e se ajeitará novamente. Não há o que faça.

É como a gasolina, por exemplo. Observo os postos há 3 semanas e não houve mais nenhum aumento considerável e a contar pelo comportamento dos postos, os que acompanho, estão baixando os preços (ainda muito altos, claro), mas a diferença chega a ser de 0,03 por semana. O posto que resolvi abastecer, estava 6,199, abasteci por 6,179 e agora está 6,159 sendo que seu preço máximo chegou na casa dos 6,399. Ou seja, se tivessemos tirado o presidente por conta da gasolina, talvez tivéssemos agido prematuramente.

Ou seja, não há o que faça, tudo se acerta, tudo ficará bem, tudo se ajeitará, sempre foi e sempre será assim. Hoje, sou um sobrevivente da covid amanhã posso ser uma das vítimas da Omicron e assim por diante, afinal, eterno só jesus, né!

Até mesmo este espaço que eu queria ter matado, hoje está revivendo. Tudo sempre se ajeitará. Sempre!


sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Vamos de? --> Linguagem politicamente correta!

 Eu não aguentei. Sou fraco, tenho minhas limitações. Um perdedor talvez, mas pelo menos, você que lê este espaço, pode voltar a ganhar alguns minutos de um texto no qual uso todo meu conhecimento adquirido e tento, ao máximo, usar nossa língua portuguesa da forma mais correta possível. 

Talvez por isso no ultimo dia 5 de outubro, eu tenha tentado desistir de tudo isso. Afinal de contas, se hoje e não posso escrever ele ou ela e tenho que baixar minha cabeça e escrever elx, hummm, foi mal, acreditei mesmo que não escrever seria o suficiente. Não foi, então, estou de volta. Sem compromissos até porque faço isso como hobby e não ganho um centavo. Pedir audiência eu não sei fazer, então, mato minha vontade de escrever (matar no sentido figurativo antes que os FPC venham me torrar o saco) e de quebra sei que algumas pessoas vão ler - dois pontos: há os que vão gostar, desde já agradeço e há os que não vão gostar e a esses eu agradeço ainda mais. Pelo menos se deram direito ao contraditório, e assim sendo, fortalecemos a democracia.

Hoje o texto é justamente sobre texto. Eu me considero uma mostra do que é o povo brasileiro. Nascido de uma família de classe média baixa, nunca sofri na vida (fome, sede, falta de ter onde dormir), mas nunca tive luxos extravagantes. Não, meus pais nos deram, a mim e meus irmãos, o conforto que eles poderiam ter nos dado. E foi bom!

Mas, hoje, aos 44 anos me deparo com algumas amarras sociais que preciso escolher entre: aceitar, mesmo sendo contra ou então, ignorar. E vou ignorar.

Assim como aos 18 anos eu rompi uma barreira, decidi romper com religiões e com a existência de um suposto deus, hoje vou romper como o politicamente correto, mas isso não fará de mim uma pessoa pior, ao contrário, continuarei sendo bom a todos que me conhecem e claro, aos que eu puder ser!

Há alguns dias escrevi um anúncio no qual me referi ao criado-mudo, como bem deveria ser, criado-mudo. Não foi surpresa para mim que, dias depois, um suposto cliente, membro de uma minoria de uns 0,5% da população que quer mudar o mundo, mas que quase nunca lava uma boa louça de costela de domingo, ligou, comentou e pediu que fosse retirado o termo pois ele não é mais "aceito". Aceito?

Aceito porque quem? 

O dicionário Michaelis online se refere a expressão conforme abaixo: 



Eu acredito que todo mundo conhece e sabe do que se trata um dicionário. Mas, talvez alguns não saibam. Porém, a capacidade de estudar das pessoas pouco me importa, até porque, num país desigual como o nosso, estuda quem quer!

Fiquei um pouco alarmado com o acontecido. Não por uma pessoa que se dá a esse trabalho, talvez ele esteja certo, disse talvez, mas até agora, para mim ele está errado. Até porque uma pesquisa não muito longa, 10 minutos no máximo, explicaria para ele - não o farei aqui - que a palavra criado-mudo deriva de uma palavra em inglês que foi adaptada e que nada tem de relação com escravos ou algo assim. Um grupo criou esse tipo de mimimi e os cegos românticos apoiadores de causa nenhuma engoliram como verdade universal. Sendo eles ainda pior: ou aceita a palavra deles ou morte!

Não é fácil. Qualquer coisa que esse grupo pensa, tem que virar lei, verdade e imperar em nossas cabeças, e me pergunto, onde vamos parar com isso tudo? 

Bem, não vou me preocupar pois não estarei aqui daqui uns 40 anos, felizmente não viverei tanto para chegar nesse ponto, vou aproveitar a vida e deixar que flua, mas que vocês nunca me verão escrever elx, pessoxs, alunixs, isso vocês nunca verão!

Fechando então, aquele abrax...