terça-feira, 22 de março de 2022

Diga-me com quem tu andas, que te direi, vá com fé, irmão, a vida é tua!!!

 Pois é gente, os religiosos tem um mantra que, penso eu, está em desuso: "diga-me com quem tu anda que te direi quem és!", ou algo que o valha com o quase o mesmo valor semântico. Certamente não sou tão preciso assim em assuntos religiosos e nunca serei, mas essa frase ficou martelando em minha cabeça desde a hora que acordei hoje, dia em que escrevo esse texto. 

Mas, quem sou eu para dizer quem é alguém? Eu não sou absolutamente ninguém nem nada para isso. Então, porque eu deveria dizer quem é quem considerando com quem você anda? Pois é, nesse caso eu que ando com quase ninguém sairia livre? Não é bem assim. Esses dias, um ignorante que mal sabe escrever uma frase sem um erro grosso de língua portuguesa afirmou que eu não sei interpretar um texto. E fiquei pensando, se o lazarento não sabe sequer escrever como pode me julgar? Dito e feito, depois desse dia, comecei a perceber que não era o fato de eu não saber ou saber interpretar um texto mas sim o fato de que o que eu escrevo de duas uma: ou causa uma emoção forte que ele não tem coragem de saber explicar ou ele realmente não sabe ler, mas mesmo que saiba ler, ele é como a grande maioria demonstra ser, não quer aceitar algo diferente do que está acostumado. Ou seja, se não for o mesmo amarelo que ele gosta, não presta, nunca prestou e nunca prestará.

Hoje em dia, eu tenho contato - felizmente - com pouquíssimos religiosos que vão a qualquer seita, e esses são os que mais me impressionam no que diz respeito as opiniões alheias: se você não pensar igual a eles, você não merece nem viver, está só ocupando espaço de outras almas que poderiam estar ajudando eles.

Sim, justamente num ambiente que - talvez tenha se ajustado - que prega a tolerância, respeito e amor ao próximo, é de onde eu tenho recebido feedback extremamente contrário. Desses religiosos eu tenho recebido o desamor, a falta de respeito ao fato de que eu posso pensar diferente e pior, algumas ofensas morais também.

Então, se com quem eu ando, diz que eu sou, estou e muito feliz de não ser com essa galera "chézus e deux" que é tão hipócrita quanto outros tantos, afinal de contas, para que eu vou me tornar um intolerante e desamado como esses tantos? 

Detalhe: jamais vou querer me impor para qualquer outra pessoa, o que posso no máximo é comentar sobre quem eu sou e como me porto em relação a outras pessoas, mas só isso por si só já é uma ofensa aos que não aceitam pessoas pensando diferente... É, gente é por ai...

#vidaquesegue

segunda-feira, 21 de março de 2022

Como é bom estar de volta!

 Veja bem, nobre leitor. Neste blog, tenho aquele gostinho de tentar no máximo possível escrever um português bonitinho, ou seja, ao menos fazer o mínimo que outras tantas nações tem que é orgulho por seus símbolos pátrios e um deles é nossa língua.

Hoje, estou muito feliz em estar de volta. Estou de volta no www.dlq.com.br - tive um tempinho juntando verbas para pagar o domínio, mas agora, estou de volta. É aqui que me sinto bem e feliz em escrever, e é aqui que gosto de estar. E sem máscaras, por favor, afinal de contas, o ultimo decreto estadual disse que podemos não usar mais máscaras em locais públicos abertos. Chega dessa palhaçada de máscara e de pandemia - e de quebra, de vacinas, já foi esse tempo.

Estou de volta aqui, nesse cantinho...

Mas ok, você não acessou esse blog para ler um diário meu e sim, algum texto bom com algum tipo de informação, não é mesmo? Vamos falar de petróleo, gasolina ou coisas que o valham?

Pois bem, você sabia que a maior parte do petróleo extraído no brasil não pode ser refinado por nossas refinarias existentes? Sim, sim, pesquisa para aprender, quase todo petróleo que extraímos é grosso, para exemplificar, e ele vale X. Nossas refinarias só estão habilitadas e tecnicamente preparadas para refinar petróleo fino, isso mesmo, aquelas coisas mais elaboradas pois nós brasileiros temos aquela mania de grandeza. Ou seja, vendemos petróleo grosso por X e compramos o fino, que é justamente o grosso pré refinado e por ele, pagamos 2x, 3x, 4x, vai saber...

Isso explica porque estamos pagando o valor que estamos pagando? Não, aí entram outros fatores, um deles é que a empresa investiu muito dinheiro a uns tempos atrás, após capitalizar uma montanha de dinheiro dos trabalhadores através do FGTS, grana essa que deve ter sido usada para bancar "obras populistas" em países "socialistas". Essas obras arrancaram uma dinheirama dessa empresa, bancaram os luxos do "des"condenado e da estocadora de vento e devemos estar pagando essa conta até hoje.

Ou seja, esse ano, pensa bem hein?

É muito mais fácil a gente pensar que uma pessoa seria responsável por isso, né, é mais fácil tentar culpar o que aí está sendo que a desgraça dessa estatal é mais longa do que podemos nós, míseros seres humanos brasileiros podemos sequer imaginar. A grande questão que poucos querem enxergar e muitos menos se arriscam em aceitar é o fato de que talvez a maior estatal brasileiro se não é mais, já foi o maior caixa eletrônico de uma galera que não vê quando o dinheiro acaba e com isso, vai seguindo...

E tem alguma luz para que possamos ter esperanças? Não, gente, não tem não. E o motivo é: a demanda de consumo de gasolina e combustíveis fósseis tem uma tendência futura de queda. Vocês que estão lendo esse texto sabem bem que os veículos elétricos estão chegando numa velocidade que há 10 anos nem se imaginava. As maiores e melhores montadoras do mundo estão anunciando que em questão de no máximo 10 anos, seus carros serão elétricos e pouquíssimos desenvolvimentos serão realizados para combustíveis fósseis, e até mesmo as versões como álcool e biodiesel estarão em desuso.

Claro, aí aquele que fez 1 semestre em economia na faculdade de jornalismo vai me perguntar: mas se a demanda cair, não é para o preço cair para estimular a demanda? E eu respondo: sim, na lógica de mercado, é basicamente assim, mas veja, se o povo não vai consumir gasolina e não é por causa do preço, vai sobrar produto, pode ser que o valor caia, mas logo, as exploradoras de petróleo irão começar a diminuir a produção, e logo o preço vai subir, e logo depois diminui a produção e o preço vai subir, e o ciclo vai se retroalimentar até que não haja mais a sustentabilidade do negócio, e quem não tiver seu automóvel elétrico vai ter cada vez mais dificuldades de conseguir gasolina e bla bla bla... Gasolina vai virar algo mais raro que disco de vinil sem riscos e sem empenamento. Só poucos terão acesso. Estaremos tão cegos e escravos desses progressistas do "ambientamente correto" que nem saberemos mais o que é comprar gasolina.

Enfim, é por aí!!!

E nesse caso, não adianta e eu esperar estar errado... Não tem escapatória...

Vida que segue!